Cidadeverde.com
Geral

Projeto dos Correios permite a quem quiser ser Papai Noel

Imprimir

Começa hoje (17) em todo o país o Projeto Papai Noel dos Correios, que põe à disposição de voluntários as cartas que chegam às agências, enviadas a Papai Noel por crianças carentes, com os mais variados pedidos de presentes.

Há mais de 20 anos, as cartas enviadas ao “bom velhinho” ficam à disposição de quem quiser comprar os presentes e a entrega é feita pelos Correios.
 

Brasília - Funcionários dos Correios começam a disponibilizar para voluntários as cartas de crianças carentes com pedidos a Papai Noel. É o Projeto Papai Noel dos Correios, que começa mais uma edição Foto: Janine Moraes (Estagiária sob sup. Marcello Casal Jr/ABr) 

Segundo a gerente de Responsabilidade Social da empresa, Hermínia Nepomuceno, o objetivo do projeto é fortalecer o espírito natalino e  a prática do voluntariado.

“Quem quiser participar só precisa ir a uma agência dos Correios e pegar quantas cartinhas puder. O contato da pessoa com a cartinha pode ser uma experiência gratificante, porque o voluntário, ao ler o pedido, acaba entrando no universo daquela criança”, comenta.

Nos últimos três anos, os Correios receberam mais de 1,6 milhão de cartas para o Papai Noel e respondeu pouco mais de 700 mil. Mesmo as cartas que não são “adotadas” são respondidas. Com ou sem um presente, os Correios enviam uma carta do Papai Noel com uma mensagem de Natal para as crianças.

Hermínia Nepomuceno esclarece que as cartas passam por uma triagem antes de serem colocadas nas agências. “Não aceitamos cartas impressas. O texto tem que ser escrito a mão por crianças. Os pedidos de DVD, celulares e computadores não são aproveitados. A maioria das cartas que ficam disponíveis contém pedidos de brinquedos, doces ou livros”.

De acordo com a gerente, também chegam muitas cartas com pedidos de ajuda para alguém da família. “É muito comum chegarem pedidos de cadeira de rodas, emprego para os pais, remédios para os avós e etc. É muito tocante ver a preocupação delas com seus familiares”.

As cartas que fogem do convencional, também ficam nas agências. O voluntário pode oferecer algo que tenha para dar. Hermínia relata que já foram doadas cadeiras de rodas e remédios.

O projeto vai encaminhar as cartas que forem enviadas até o dia 12 de dezembro. As crianças podem entregar as cartas ao carteiro.

Fonte: Agência Brasil

Tags:
Imprimir