Cidadeverde.com
Geral

HU-UFPI fará atendimentos e ações de prevenção a câncer de cabeça e pescoço

Imprimir

Foto: Ascom

A Unidade de Cabeça e Pescoço do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI), filiado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), promoverá nesta sexta-feira (27), das 7h às 13h, atividades de prevenção ao câncer de cabeça e pescoço, bem como fará atendimentos especializados (consultas) às pessoas que procurarem o Hospital com sintomas da doença.
 
A programação ocorre no Dia Mundial de Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço e dentro do Julho Verde – Campanha Nacional de Conscientização para Prevenção sobre os Tumores de Cabeça e Pescoço, que ocorre em todo o país sob a coordenação da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) e da Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG Brasil). Em 2018, o tema escolhido para a Campanha é “Quem ama inclui”, por causa das sequelas psicológicas e funcionais que prejudicam a qualidade de vida do paciente e sua reinserção na sociedade.
 
A doença tem como principais fatores de risco, o fumo, o consumo de álcool, as infecções por HPV e o excesso de exposição solar; e pode atingir a boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago cervical, tireoide e seios paranasais. “O câncer da Cabeça e Pescoço é uma doença que depende muito dos hábitos e fatores ambientais, portanto as mudanças de hábitos salvam vidas, lembra a Médica Katia Marabuco, Cirurgiã-oncológica do HU-UFPI, Professora do Departamento de Cirurgia Geral da UFPI e membro da Comissão Organizadora do Julho Verde no Hospital. 
 
Os tumores de cabeça e pescoço podem ser assintomáticos no princípio da doença. O diagnóstico das lesões iniciais é fundamental para garantir que os índices de cura se aproximem de 100%. Com o seu desenvolvimento, alguns sinais e sintomas podem aparecer, como manchas brancas na boca, dor local, lesões com sangramento ou cicatrização demorada, nódulos no pescoço, mudança na voz e rouquidão, e dificuldade para engolir.
 
Além das terapias tradicionais, nos últimos anos algumas drogas promissoras têm conseguido melhorar o prognóstico dos pacientes, com uma ação mais eficiente e menos agressiva ao organismo, como as imunoterapias e terapias-alvo.
 
O Brasil registra a cada ano cerca de 40 mil novos casos desses tumores malignos, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), do Ministério da Saúde, o que corresponde a 4% de todos os tipos da doença. O câncer de boca, por exemplo, chega a ser o 3º tipo de tumor mais frequente em algumas regiões do país, ocorrendo sete vezes mais em homens do que em mulheres.  
 
Sobre a Ebserh                 
 
Desde abril de 2013, o HU-UFPI é filiado à Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação que atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do SUS, e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.
 
A empresa, criada em dezembro de 2011, administra atualmente 40 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Da Redação
[email protected]

Tags: HUcâncer
Imprimir