Cidadeverde.com
Geral

Vídeo: preso confessa ter matado dona do "Quintal da Tânia"

Imprimir

Atualizada às 10h

O suspeito de assassinar a proprietária do bar "Quintal da Tânia" disse que o crime "deu errado". Jefferson Yuri do Nascimento, 24 anos, confessou o latrocínio e deu detalhes da ação criminosa. 

"Dei voz de assalto. A mulher acelerou um pouquinho o carro e eu atirei no pânico. Dei uns passos para trás e depois me aproximei. Foi quando quebrei o vidro do carro [...] saí correndo. Não deu para levar nada", disse o suspeito. 

As investigações apontaram que Jefferson foi o executor e estava sob efeito de drogas. A delegada Luana Alves conta que o suspeito não demonstrou arrependimento. 

"Ele disse que o crime deu errado, mas disse isso porque a pena do latrocínio é de 20 a 30 anos, ainda acabou sendo preso e não levou nada. Latrocínio é um crime que dá errado" destacou a titular da delegacia de Feminicidio.

Jefferson permanecerá preso na antiga Casa de Custódia.

Matéria original

O suspeito de assassinar a empresária Tânia Alves Ribeiro do Nascimento, em junho desse ano, foi preso pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A titular da Delegacia de Feminicídio, Luana Alves, que investigou o caso, conta que o suspeito confessou o crime e disse que atirou porque a vítima não parou o carro. Em depoimento, ele disse ainda que a intenção era roubar os celulares para trocar por drogas. 

"Ele conta que atirou pois a vítima não parou o carro e quando percebeu que havia uma pessoa morta se desesperou e acabou fugindo. ", explica a delegada. 

O suspeito, identificado apenas como Jefferson, também seria usuário de drogas. Ele foi preso dias após o latrocínio (roubo seguido de morte) da empresária ao cometer um furto qualificado a uma pizzaria. O cumprimento do mandado de prisão pela morte de Tânia foi cumprido no presídio. 

Jefferson cumpria pena no regime semiaberto e havia fugido da Colônia Agrícola Major César. "Ele disse que já passou mais de 10 vezes pelo sistema prisional", complementa Luana Alves. 

A empresária era dona do bar "Quintal da Tânia"  e a morte causou comoção e revolta.

Relembre o caso

Tânia Alves foi assassinada na Rua Arêa Leão, bairro Monte Castelo, zona Sul de Teresina, dentro do próprio carro. A vítima foi atingida com um tiro no olho direito e teve morte imediata. Além da vitima, no veículo  havia uma senhora e uma menina de 12 anos de idade. 

Foto: Wilson Filho/ Cidadeverde.com

As três retornavam de uma festa de aniversário quando foram abordadas pelo suspeito a pé. Uma das sobreviventes contou que, mesmo após efetuar os disparos, o suspeito ainda tentou roubar os celulares das vítimas.

 

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir