Cidadeverde.com
Viver Bem

7 dicas para você driblar a solidão e viver de bem consigo mesmo

Imprimir

A solidão acontece quando a pessoa está ou se sente só, o que conduz a uma sensação negativa e um sentimento de vazio. Para combater esta situação, é importante a pessoa aceitar que não está no caminho certo, e observar que medidas e atitudes podem ser feitas para mudar este momento da vida. Além disso, é importante adotar uma atitude positiva para, em seguida, passar a ter hábitos que permitam a aproximação das pessoas, como frequentar cursos ou grupos onde haja conversas, esportes ou atividades com a qual tenha afinidade. 

1. Aceitar que algo precisa mudar
Se existe a sensação de solidão, seja por falta de amigos, ou seja pela falta de aproximação com pessoas à volta, é importante assumir que a situação não é adequada e tentar descobrir o que pode estar fora dos eixos. Um bom exercício é anotar em uma folha de papel os motivos pelos quais acha que está só, como, por exemplo, ser uma pessoa tímida, tem dificuldade de interagir, ou os amigos se afastaram e, em seguida, escrever o que poderia ser feito para resolver cada situação. Portanto, deve-se ter em mente que o primeiro passo para corrigir que algo não está bem é assumir e aceitar que o problema existe para, em seguida, buscar alternativas, evitando, assim, o papel de vítima.

2. Não ceder ao passado e às tristezas
Diversos acontecimentos podem ter influenciado para o momento atual de solidão, entretanto, de nada adianta viver no passado se o presente está disponível para darmos um passo adiante. Deve-se assumir uma nova postura, e se permitir criar novas chances e possibilidades para, então, viver para o presente e futuro, e não para o que passou.

3. Ser uma pessoa positiva
Deixe de lado a imagem negativa de si próprio e das circunstâncias, e comece a ter uma atitude mais leve, com menos críticas e culpas. Esperar sempre pela rejeição só fará com que se afaste das pessoas, portanto, espere sempre o melhor das pessoas e das situações. Além disso, para vencer a solidão, é importante melhorar a auto-estima, permitindo uma maior confiança em si próprio. 

4. Não se isolar
Procure falar mais com as pessoas ou, se isto for difícil, mostre-se aberta para a conversa, mantendo um sorriso e um olhar para frente, ao invés de ficar olhando para baixo ou com os braços cruzados. Assim, se permita fazer novos amigos, mas isso só será possível ao ter a atitude de sair para passear ou conversar com novas pessoas. Uma outra boa forma de fazer amigos é entrando para grupos de redes sociais, que tenham um interesse em comum. Mas, deve-se ter cuidado para não se envolver com pessoas erradas, pois fazer maus amigos pode ser ainda pior, e trazer consequências negativas para a sua vida.

5. Encontrar um hobbie
Descubra um hobbie ou alguma atividade pela qual tenha interesse, o que é uma ótima forma de conhecer ou se aproximar das pessoas. Existem opções de serviços comunitários ou grupos de encontros semanais, que podem ser contactados no posto de saúde da família mais próximo. Outras opções são praticar algum esporte em grupo, ou entrar para um grupo de leitura, por exemplo.  Além disso, existem atividades que ajudam a ter mais auto-conhecimento e compreensão dos sentimentos, como medicação e yoga, por exemplo, o que ajuda a entender melhor os próprios limites e capacidades, além de alcançar um melhor auto-controle.

6. Se inscrever em um curso
Procure novas atividades e dar um novo sentido à vida, adquirindo novos conhecimentos, e, ainda por cima, garantindo um novo círculo de possíveis amigos. Assim, pesquise sobre cursos que gostaria de fazer, como de uma nova língua, um aperfeiçoamento profissional ou um hobbie, como algum instrumento ou jardinagem, por exemplo. 

7. Procure a ajuda de um profissional
Um psicólogo ou psicoterapeuta são excelentes aliados para encontrar formas de vencer as barreiras que provocam a solidão, além de ajudar a superar o sentimentos negativos. Caso a sensação de solidão seja acompanhada por outros sintomas, como tristeza, perda da vontade, e alterações do apetite, por exemplo, é importante se consultar com um psiquiatra, para investigar outras causas de sintomas negativos, como a depressão.

 


Fonte: Tua Saúde

Imprimir