Cidadeverde.com
Geral

No HU faltam até seringas e água para injeção; cirurgias são canceladas

Imprimir

Fotos: Wilson Filho

Atualizada às 10h55

O Cidadeverde.com vem recebendo denúncias de familiares de pacientes e de servidores que no Hospital Universitário (HU) faltam materiais essenciais e em algumas situações está tendo que cancelar cirurgias. Representantes dos funcionários ouvidos pelo site confirmaram a denúncia.

Francisco Santana, funcionário do HU e representante da categoria conta que existem casos que pacientes chegam a comprar medicamentos.

Entre os materiais em falta estão seringas de insulina, água para injeção, glicose, bolsa coletora de urina e até atadura. No hospital, segundo familiares de pacientes e servidores, falta eletrodo e o aparelho de Raio X está sem funcionar há cerca de dois meses.

Segundo informações obtidas pelo Cidadeverde.com, virou rotina o cancelamento de cirurgias ortopédica, cardíaca e oftalmológica.

O Ministério Público Federal no Piauí solicitou o imediato afastamento da atual direção do Hospital Universitário/PI/Ebserh. Segundo a Procuradoria da República, o hospital está subaproveitado. A denúncia foi comprovada em auditorias do Denasus, realizada nos três últimos anos.

"O Hospital não está subaproveitado, o que acontece é a constante falta de material. Se é logística, que peça com antecedência material. A demanda é maior que o material existente. A falta de água para injeção afeta cirurgias, pois não tem como diluir medicamentos e o número de eletrodo não é suficiente para atender o fluxo de cirurgia", disse Francisco Santana. 

Segundo Santana, as bandejas cirúrgicas existentes no hospital não são suficientes e algumas intervenções cirúrgicas não são realizadas por não haver tempo de esterilizar o material. "O hospital é de grande porte, há poucas bandejas e muitas cirurgias", disse Santana.

O procurador da República Kelston Lages informou que todos esses fatos estão materializados em auditoria do Denasus e foram levados na Justiça Federal. 

“Denunciamos tal descaso e aguardamos um posicionamento da 5ª Vara da Justiça Federal, se for necessário, recorreremos ao Tribunal Federal Regional da 1ª Região em Brasília”, informou Kelston Lages. 

Versão do HU

A direção do HU enviou nota onde explica que "eventualmente, por fatores externos, pode ocorrer a falta momentânea de algum insumo" e que isso não implica na diminuição na quantifade de cirurgias. Informa também que há planejamento na compra dos materiais necessários do Hospital e que a falta se deve ao atraso na entrega pelos fornecedores. A nota afirma ainda que o HU já  adquiriu parte dos itens não entregues e que está realizando contratação emergencial dos demais.

Veja nota de esclarecimento na íntegra:

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI), filiado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), esclarece que cumpre os quantitativos pactuados com o gestor do Sistema Único de Saúde (SUS) no que se refere a consultas, exames e cirurgias, realizando, por exemplo, cirurgias cardíacas em número superior à quantidade prevista na habilitação do serviço.

Eventualmente, por fatores externos, pode ocorrer momentaneamente a falta de algum insumo necessário à realização de determinado procedimento, mantendo o HU-UFPI postura de logo solucionar a questão. Tal eventualidade não implica, porém, na diminuição da quantidade de cirurgias, uma vez que outros procedimentos cirúrgicos continuam sendo realizados.

O HU-UFPI informa que todos os insumos para funcionamento integral do hospital são previstos e possuem processo de compra planejado. A falta momentânea e pontual de alguns deles se deve ao atraso na entrega por empresas contratadas e até mesmo ao processo de falência de uma delas. O Hospital já adquiriu parte dos itens não entregues e está realizando a contratação emergencial para aquisição dos demais. Assim, algumas cirurgias estão sendo reagendadas e acontecerão em tempo hábil.

O HU-UFPI reafirma seu compromisso com a população piauiense no sentido de dar continuidade ao papel que desenvolve como hospital escola, formando profissionais em diferentes áreas do conhecimento, ofertando atendimento com qualidade e assistência humanizada aos pacientes do SUS, com impacto significativo na melhoria da saúde pública na região.

 

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Imprimir