Cidadeverde.com
Política

Candidatos eleitos sem prestação de contas não serão diplomados

Imprimir


Foto:LuccasAraujo/CidadeVerde.com

Os candidatos que disputaram o primeiro turno das Eleições 2018 possuem até o dia 6 de novembro para apresentar a prestação final de contas. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral do Piauí (TER-PI), juntos, os dez candidatos a governador do Piauí gastarão R$ 4.356.773,74.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, desembargador Sebastião Ribeiro Martins, afirma que quem não prestar contas não conseguirá ser diplomado no dia 18 de dezembro. 

“O TRE-PI começa agora a análise das prestações de contas. Os candidatos são obrigados a apresentarem os gastos deles. Quem não prestar contas não será diplomado. Todos, eleitos e não eleitos devem apresentar a prestação de contas”, afirmou. 

A lei eleitoral garantia a cada candidato o limite de gasto de R$ 5.600.000. O governador Wellington Dias (PT), reeleito no primeiro turno, foi o que mais gastou. De acordo com a prestação parcial do candidato, ele teria gastos R$ 1.768.900,82.

Em segundo lugar aparece o candidato tucano Luciano Nunes (PSDB) com gastos de R$ 1.437.872,91. Elmano Férrer(Podemos) gastou R$ 776.216,49. O médico Dr. Pessoa (Solidariedade) aparece em quarto lugar com R$ 269.824,43. 

Os candidatos Valter Alencar (PSC) gastou R$ 98.341,86, Romualdo Seno (DC) gastou R$ 9.210,15. A candidata do SPOL, Sueli Rodrigues, gastou R$ R$ 6.407,90. Na disputa deste ano, três candidatos - Luciane Santos (PSTU), Lourdes Melo (PCO) e Fábio Sérvio (PSL) - ainda não declararam os gastos.

Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com 

Imprimir