Cidadeverde.com
Geral

Água do esgoto invade enfermaria e posto do Hospital Infantil; veja vídeo

Imprimir

A água do esgoto invadiu a enfermaria do Hospital Infantil Lucídio Portela, em Teresina, onde há crianças internadas e o problema assustou servidores e pais. Um vídeo mostra a infiltração, que teria começado por volta das 22h de ontem. Com o transtorno causado, os pais ainda ficaram preocupados com a possibilidade de infecções.

Os funcionários tentaram conter a entrada do líquido  - que escorria pelo ralo - com o uso de colchas e toalhas do próprio hospital. Além da enfermaria, a água invadiu o posto 3, onde são preparados medicamentos.  Pais e funcionários relatarem que a água tinha cor amarelada e odor insuportável.

Em entrevista ao Jornal do Piauí de hoje, o avô de um menino internado falou que teme pela recuperação do neto. O neto de cinco anos está com dois tipos de infecção bacteriana. “Como é que ele vai aguentar a noite toda no cheiro forte que estava? Não tem condição”, reclamou Seu Genival.    

A direção do Hospital disse que o problema estava em uma encanação dentro de uma parte do forro do Hospital, que foi preciso ser aberto para que o vazamento fosse reparado. O diretor do Hospital, Vinícius Pontes, garante que o ocorrido não oferece risco à vida dos pacientes. 

“As infeções que as crianças apresentam são transmitidas pelo contato. Quando você aumenta o risco de infecção dentro do hospital, é quando você não segue as normas que a CCIH prega, que é a Comissão de Infecção Hospitalar. Não é esse tipo de vazamento que vai aumentar a infecção dentro do Hospital. Mas está sob controle, o pessoal da Comissão já está avisado e a limpeza já está tomando de conta disso

Segundo a direção, o problema foi resolvido na enfermaria e no posto, mas as reclamações da falta de estrutura e infraestrutura continuam existindo. De acordo com mães e funcionários do Hospital, falta climatização em muitos espaços e as infiltrações no teto se repetem a cada período chuvoso. As duas salas de cirurgias, segundo depoimentos, enfrenta a falta de materiais básicos.

O Hospital é o único em entendimento especializado infantil público do estado, tem capacidade para internação de 86 crianças e sempre está lotado. A obra reforma e ampliação prevista para a unidade foi iniciada em 2009, orçada em R$ 8 milhões, mas faltam recursos para o término. Só há em caixa R$ 1,5 milhão, segundo a direção.

“Acredito que agora o secretário de Saúde vai conseguir, com esse projeto que já estão em mãos, os recursos e que a gente dê para os usuários um condição melhor de atendimento”. 

Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Imprimir