Cidadeverde.com
Política

Governadores do Nordeste fecham agenda única para levar a Bolsonaro

Imprimir

Governadores eleitos e reeleitos de todo Nordeste divulgaram no início da tarde desta quarta-feira (21) uma carta compromisso que será enviada ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Os representantes dos nove estados anunciam as prioridades para o próximo quadriênio (2019-2022). 

Os líderes defendem uma maior integração entre a União, Estados e municípios, com o objetivo de reduzir os índices de violência da região, promover a geração de empregos e destravar obras importantes para a região. 

"Queremos que o País priorize o que chamamos de Pauta Brasil. Temas que são a prioridade do povo. O crescimento da economia, geração de emprego. E como se faz isso? Com a retomada de obras como a Transposição das águas do São Francisco e a Ferrovia Transnordestina. Em todo o Brasil, são cerca de 20 mil empreendimentos que, ou estão paralisados, ou andando muito lentamente”, destacou o governador Wellington Dias durante a coletiva com a imprensa. 

 

Fotos: André Oliveira


Oito dos nove governadores do Nordeste - eleitos e reeleitos - participam na manhã desta quarta-feira (21) de reunião para definirem pautas importantes para a região. Participam da reunião o presidente do Senado Eunício de Oliveira. 

Semana passada os governadores entregaram um carta ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Estão no encontro, os governadores Wellington Dias (PI), Camilo Santana (CE), Paulo Câmara (PE), Rui Costa (BA), Luciano Barbosa (vice-governador AL), Belivaldo Chagas (SE), Flávio Dino (MA), João Azevedo (eleito PB), Fátima Bezerra (eleita RN) e Luciana Santos ( eleita - vice-governador PE). 

“Somos parte da Federação, queremos estar trabalhando, dialogando e integrando ações com o Governo Federal. Queremos que o país possa priorizar a pauta Brasil, temas que são a prioridade do povo, que impliquem em crescimento da economia e geração de emprego”, aponta Dias.

Para os governadores do Nordeste, a saída é retomar as obras na região. Dentre elas estão a transposição do Rio São Francisco e a rodovia Transnordestina. “Em cada estado há um conjunto de obras que gira, gera emprego e assim em todo o Brasil. São cerca de 20 mil obras que hoje estão paralisadas ou caminhando muito lentamente”, informou Wellington.

Outra pauta reivindicada pelo Nordeste e pelos demais estados, que deverão se reunir no dia 12 de dezembro em mais uma edição do Fórum dos Governadores do Brasil é a Segurança Pública. Os governadores assinalam para uma maior integração entre os estados e a União na elaboração de um Plano Nacional de Segurança já aprovado pelos chefes de Estado.

Com metas pré definidas, o Plano de Segurança é planejado para funcionar com fundo próprio e para isso depende de aval da União. “Queremos encaminhar pautas de interesse geral da população. Estamos falando de 61 mil pessoas assassinadas em 2017, destas 40% da nossa região. É um desafio que não pode ser superado apenas a nível estadual, mas sim com uma integração entre municípios, estados e Federação”, avalia Dias.

Wellington acredita na atenção que deverá ser dada ao Nordeste no novo governo federal. “Somos uma região de grande potencial na área de energias renováveis, de mineração, de oportunidades no turismo e várias áreas. É uma região que mostrou crescimento quando tem investimentos do governo federal”, pontuou.

Securitização

Aprovado no Senado o projeto da Securitização está sendo discutido na Câmara dos Deputados. Para os governadores a securitização gera oportunidade de recursos sem criar impostos, tanto para os Estados e Municípios quanto para a União. “Pode gerar R$ 200-R$ 300 bilhões de reais para a União é um caminho”, aponta o governador do Piauí.

 

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Imprimir