Cidadeverde.com
Política

Flávio Dino: "precisamos gerar emprego muito rapidamente"

Imprimir

O governador do Maranhão, Flávio Dino, afirmou nesta quarta-feira (21) que os governadores do Nordeste não vão aderir ao governo Bolsonaro, mas que isso não impede uma agenda de pautas e o diálogo. Hoje, todos os representantes dos estados se reuniram no Fórum para definir eixos prioritários.

"Não vamos aderir a uma agenda que não acreditamos, mas queremos ter a oportunidade de apresentar uma pauta e fazer o bom diálogo. A Constituição garante o pluralismo político. É essa  convivência democrática que nós queremos estabelecer, uma relação de cooperação, não há dúvida, mas que não admite imposições. É uma agenda construída de modo compartilhado", afirmou em entrevista à TV Cidade Verde.

Dentro os eixos, explicou Flávio Dino, a retomada de obras, do crescimento econômico e novas fontes de financiamento.

"Temos preocupação com obras federais, retomadas para a geração de emprego. Debatemos o Mais Médicos para preencher os profissionais que estão nos deixando, o Fundeb e novas fontes de financiamento para estados e municipios", disse.

O governador maranhense afirmou ainda que o país precisa gerar emprego rapidamente e continuar obras que estão paradas.

"Não podemos ter obras federais paradas. É um absurdo ter creches interrompidas, obras rodoviárias. Colocamos como prioridades as obras de segurança hídrica, rodoviárias, ferroviárias e logisticas, além de obras habitacionais. Precisamos gerar emprego muito rapidamente", finalizou.

Foto: Reprodução/TV Cidade Verde

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Imprimir