Cidadeverde.com
Geral

Ex-mulher de Dr. Pessoa reage, diz que foi usada e que vai acioná-lo judicialmente

Imprimir

 

Maria Auricélia de Sousa, 38 anos, se diz indignada e surpresa. Na manhã desta quinta-feira (29) foi informada que está proibida - judicialmente -  de manter contato com o deputado estadual, Dr. Pessoa (Solidariedade), seu ex-companheiro.  

Dr. Pessoa procurou a Polícia e denunciou que está sofrendo violência física e psicológica por parte da sua ex-mulher. Chegou ao ponto de solicitar medida protetiva. O juiz autorizou. Maria Auricélia nega as acusações.

Ela contou ao Cidadeverde.com que tem uma relação amorosa com Dr. Pessoa há 10 anos. Cerca de dois anos não tem qualquer relacionamento sexual, mesmo dividindo a mesma residência, no bairro Lourival Parente, zona Sul de Teresina.

 Maria Auricélia, que é odontóloga, confirmou ainda que está grávida de sete meses e assim que tomou conhecimento da gestação contou para Dr. Pessoa.

"Ele aceitou sem problema. Pediu para não revelar durante a campanha, pois estava com a cabeça voltada para eleição. Não tivemos nenhum problema de desentendimento", ressaltou a adontóloga.

Segundo Maria Auricélia o deputado lhe usou e irá aciona-lo judicialmente. Ela relata ainda que seus familiares são do Ceará e não tem para onde ir.

"Pra onde eu vou? eu dependo dele, sempre com o consentimento dele eu vive aqui (na casa de Dr. Pessoa). Não existia casamento entre a gente. Ele está querendo de fazer de pior vítima. Não houve traição, porque não sou esposa dele. Ele tinha os relacionamentos dele e a gente vivia em pleno acordo".

Ela disse que se sente governanta da casa do deputado e sempre foi para ele uma "cuidadora".

"Chegamos a um acordo que cada um iria viver sua vida, chegou ao ponto que não dava mais e convivíamos no mesmo ambiente e dormia no mesmo quarto. Quando eu engravidei falei para ele. Estava no período da campanha, ele disse pra mim não falar nada porque era momento de campanha. Jamais agredi ele... Na verdade eu vivia como cuidadora e isso foi uma surpresa. Isso é calúnia e fui usada. Não quero nada dele, só os direitos que eu tenho". 

Dr. Pessoa não se posicionou publicamente sobre as acusações e o relato de sua denúncia está no site do Tribunal de Justiça do Piauí. 

Ouça a entrevista:

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Imprimir