Cidadeverde.com
Geral

Infiltrações e goteiras atrapalham cursos na Uespi; estudantes farão ato

Imprimir
  • facime1.jpg Divulgação
  • facime2.jpg Divulgação
  • 23319675-5c9a-40bb-b6bf-04bda58de483.jpg Divulgação
  • 54987d24-3c81-4992-857e-64031655badd.jpg Divulgação
  • 20862abf-affd-4f1c-9225-ea698e453db7_(1).jpg Divulgação
  • 402d43cb-11a8-4494-a91c-c15d60c04ced.jpg Divulgação
  • 31a825b8-ab92-40ca-8330-74a8bda8060d.jpg Divulgação
  • fcae48a7-8ad6-45ea-baa1-1970f537a44d.jpg Divulgação

Os estudantes do Centro de Ciências da Saúde, da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) divulgaram uma série de imagens que mostra a situação precária do CCS. Uma das salas do curso de Educação Física, por exemplo, chegou a ser interditada porque há riscos do teto desabar. 

Ontem (7) alunos de uma das turmas do curso de Medicina tiveram que mudar de sala porque o chão estava alagado e o teto com infiltrações. Os problemas estruturais da Uespi não são novidades, mas os estudantes afirmam que a situação está piorando a cada dia. 

O presidente do Centro Acadêmico de Medicina, Aldo Rodrigues, disse ao Cidadeverde.com que, além da “péssima” estrutura física, o CCS sofre com a falta de materiais e equipamentos básicos. 

“A estrutura como um todo do CCS é precária. Não tem um data show, algumas turmas compram e deixam de legado para a universidade, péssimas estruturas de laboratórios, materiais de segurança ultrapassado. O teto da biblioteca está em um estado deplorável, quase pra cair. O auditório ficou alagado na semana passada. A gente fica receoso de ficar dentro das salas”, conta o estudante, que faz o 4º período de Medicina. 

Para reivindicar melhorias, estudantes da Uespi irão realizar um protesto na próxima quarta-feira (12). Os estudantes sairão em passeata do prédio do CCS até o Palácio de Karnak. A intenção do movimento SOS Uespi é pressionar o governo do Estado a investir no centro.

Por meio de nota, a Universidade Estadual do Piauí se pronunciou sobre as denúncias dos alunos e garante que os problemas serão resolvidos em breve. 

“Em relação às reclamações dos alunos do Centro de Ciências da Saúde (CCS) sobre goteiras existentes em salas de aula do CCS, informa que já está ciente da situação e que nos próximos dias serão feitos reparos emergenciais para que o andamento  das aulas e atividades de alunos e professores não sejam prejudicados”, diz a nota .

Hospital Infantil

Além da estrutura do CCS, os alunos também denunciaram a situação do Hospital Infantil. “O maior hospital pediátrico” do Estado tem áreas alagadas quando chove. 

Em vídeo divulgado nas redes sociais, os alunos mostram baldes espalhados nos corredores do hospital para aparar a água que escorre das goteiras. 

 

 
Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir