Cidadeverde.com
Destaques da TV/Rádio

Secretário diz que polêmica sobre transporte por aplicativos envolve inverdades

Imprimir

O secretário de Comunicação de Teresina, Fernando Said, declarou que há muitas inverdades na polêmica sobre o serviço de transporte por meio de aplicativos em Teresina. O gestor comentou sobre um dos pontos contestados pela categoria que limita o número de aproximadamente 7 mil para 2.040 operadores. O projeto foi aprovado nesta terça-feira (11) na Câmara do Vereadores e continua causando protestos.

"Essa polêmica existe devido a uma campanha despropositada, de certa forma, até arrogante das empresas dos aplicativos. Algumas verdades foram ditas e espalhadas por essas empresas para tentar envolver a opinião pública", disse o secretário. 

Fernando Said alega que os responsáveis pelo serviço de transporte por meio de app não repassaram dados sobre o número de operadores e que regulamentação do serviço visa, entre outros objetivos, dar segurança aos usuários. 

"Quem sabe quantos operadores de aplicativos tem em Teresina? ninguém sabe. Não é possível se afirmar categoricamente isso porque a prefeitura não tem esses dados. As operadoras não oferecem esses dados a prefeitura. É preciso estabelecer a verdade. O que a prefeitura está fazendo é cumprindo uma determinação da lei federal regulamentando o serviço em Teresina. Primeiro, a prefeitura busca garantir a segurança do sistema, dar estabilidade para o sistema de transporte de passageiros, dar segurança ao usuário do sistema e busca também dar tranquilidade e segurança para os operadores", completou Said. 

Em entrevista ao Notícia da Manhã, o secretário de Comunicação disse ainda que o prefeito vai analisar e sancionar o projeto na brevidade exigida pelo trâmite legal. Ele retomou a discussão sobre a polêmica da limitação do número de operadores e disse que caberá ao prefeito ampliar ou reduzir esse número. 

"Os vereadores decidiram por fazer um limite inicial do número de operadores para que em havendo as informações, em o sistema apresentando dados, a prefeitura possa estabelecer o limite máximo. Tanto é que o projeto não fechou esse número hermeticamente. O projeto diz que o prefeito ficará com a liberalidade de ou ampliar o número de operadores ou diminuir. A prefeitura continua aberta e deve prevalecer o diálogo e o entendimento para que o sistema funcione sem prejudicar ninguém e dando oportunidade para aqueles que realmente precisam", finaliza Fernando Said. 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir