Cidadeverde.com
Viver Bem

Dicas práticas para manter uma alimentação saudável

Imprimir

Ter uma alimentação saudável não é um “bicho de sete cabeças”. Claro que ela pede empenho, dedicação e cuidado na escolha e no preparo dos alimentos. Mas nada que diminua sua satisfação em comer, ainda mais sabendo que os efeitos são positivos. Com criatividade e disposição, dá para largar a junkie food de cada dia e trocá-la por pratos saudáveis e tão ou mais saborosos. 

O famoso cafezinho, por exemplo. Se não dá para abrir mão do açúcar, o ideal é procurar por alternativas naturais, como mel ou até a rapadura, que mantêm minerais e vitaminas. Outra saída é optar pelo stevia, que traz edulcorantes naturais, diferente de outras opções de adoçantes.

Sucos

Mesmo as versões chamadas “light” dos sucos de caixinha têm muitos conservantes. Dessa forma, o natural é sempre melhor. O queijo branco, outro visto como light, traz gorduras saturadas.  Dois substitutos perfeitos são os queijos cottage e mussarela de búfala.

Nem mesmo as barras de cereais são tão inocentes assim. Muitas vezes são repletas de conservantes, corantes e sódio. Outra: se a cafeína for vital no seu dia-a-dia, trocar o café pelo chá verde, preto ou mate é uma saída natural e saudável.

Óleos vegetais, como soja, milho, girassol e canola, devem ser evitados pelas grandes quantidades de gordura trans quando aquecidos. O azeite extravirgem é um substituto fácil.  Mais: molhos de salada prontos, ricos em gordura, sódio e conservantes, devem ser trocados por temperos naturais, como limão e vinagre balsâmico.

Integral

Livre de glúten, sódio e açúcares, a farinha de tapioca pode ser uma opção no preparo de panquecas e outras receitas. Na verdade, o ideal é acostumar o paladar a receber as versões integrais do arroz, pães, massas e carboidratos em geral. 

Frituras

Grelhados e assados podem não ser tão saborosos quanto frituras, mas são mais nutritivos e saudáveis. Por fim, alimentos como a cebola e a batata podem ser substituídos pela cebola roxa e a batata doce.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir