Cidadeverde.com
Geral

Polícia procura autor de corte de árvores no bairro Saci

Imprimir
  • árvore_(4).jpg Ascom/Semam
  • árvore_(3).jpg Ascom/Semam
  • árvore_(2).jpg Ascom/Semam
  • árvore_(1).jpg Ascom/Semam
  • árvore_(6).jpg Ascom/Semam
  • árvore_(5).jpg Ascom/Semam

Equipes técnicas da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam), da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU-Sul) e a Delegacia de Combate a Crimes Ambientais estiveram, nesta segunda-feira (18), na Praça Gentil Macêdo, no bairro Saci. Ontem quase todas as árvores do local foram cortadas supostamente por ordem de um morador da região. 

O secretário municipal do Meio Ambiente, Olavo Braz, foi avaliar os “estragos ambientais” na praça e garantiu ao Cidadeverde.com que “este crime não vai ficar impune”. A Semam fez o levantamento arbóreo das espécies cortadas. O gestor informou que, no total, nove árvores foram mortas.

“Foram trituradas nove árvores, dessas quarto eram flamboyant, de 20 anos de idade. A árvores tinham de 13 a 14 metros de altura. Também foram mortas mangueiras e castanhola.  Há poucos vimos, inclusive um beija-flor procurando flores do flamboyant ”,disse o secretário. 

O secretário classificou o corte de árvores como um “ato de vandalismo” e disse que nunca tinha visto "tamanho absurdo". “Foi um ato arbitrário, sem licença ambiental. Nenhuma árvore apresentava sintoma de doença. Este crime não vai ficar impune. Eu nunca vi isso. Uma degola de uma praça ser feita desta forma”,criticou o secretário Olavo Braz.   

A preocupação da Semam agora é com o microclima que existia na praça. A secretaria adianta que vai recompor a região em termo de árvores e a expectativa é que com o período chuvoso as árvores mais antigas reflorem. 

Os técnicos da Semam irão encaminhar o levantamento para o Ministério Público e a Delegacia de Combate a Crimes Ambientais. 

A delegada titular da especializada, Edenilza Viana, aguarda o relatório elaborado pela Semam para definir se houve crime ambiental e se o local onde as árvores estavam plantadas trata-se de uma praça. “Temos que saber quais era as espécies das árvores para ver quais delas tinham proteção ambiental”, informou. 

Por enquanto os policiais civis estão em busca do suspeito de dar ordem para o corte das árvores. A pessoa que cortou os troncos também está sendo procurada. 

O corte de árvores em praça é crime ambiental tipificado no artigo 49 da Lei n° 9.605/98 e tem como pena detenção, de três meses a um ano, ou multa. 

 


Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir