Cidadeverde.com
Viver Bem

Conheça os benefícios da capoeira para a saúde

Imprimir

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Movimentar todos os grupos musculares, alcançando maior flexibilidade e capacidade cardiorrespiratória. Tudo isso com muito ritmo e alegria. Esses são alguns dos benefícios da capoeira. Vale a pena conhecer mais a respeito.

Logo em uma avaliação inicial, um aspecto positivo: trata-se de uma atividade física que desenvolve aspectos positivos em relação à saúde e resistência cardiovascular, além de proporcionar mais disposição aos seus praticantes

Antes de iniciar a atividade, vale a dica para pais e iniciantes: pesquisar sobre a formação e currículo do professor. Sua prática não oferece perigo, desde que o profissional ou mestre que ministra aulas seja consciente e bem preparado para exercer a função de educador nesta área. 

Confira alguns benefícios:

Melhora da flexibilidade: com o passar do tempo, o praticante se torna mais flexível e isso reduz as chances de lesões.

Desenvolve a força: para praticar, é preciso realizar vários movimentos, que envolvem as mãos, os pés e o abdômen. O uso dessas partes do corpo contribui com o desenvolvimento dos músculos e, consequentemente, aumenta a força corporal.

Combate o estresse: a luta proporciona uma sensação de relaxamento mental e físico Por isso, alivia qualquer vestígio de estresse do dia a dia.

Evita dores nas costas: a capoeira tem a capacidade de fortalecer a musculatura abdominal, portanto, melhora as condições do abdômen sustentar a coluna.

Ajuda a emagrecer: a atividade auxilia a perder os quilinhos indesejáveis. Após 1 hora de aula, é possível eliminar até 700 calorias

Ajuda a fazer amigos: uma roda de capoeira estimula a interação social e faz com que os praticantes percam a timidez.

Cuidados

Diante das características da capoeira, podem ocorrer lesões. As mais freqüentes são entorses, contusões e problemas de ordem muscular e articular. O aquecimento e o alongamento são considerados excelentes prevenções para a ocorrência destes problemas.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir