Cidadeverde.com
Política

Juiz Bretas determina que Temer e Moreira fiquem presos em unidade da PM em Niterói

Imprimir

Foto: Lucas Tavares/Folhapress

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, acolheu os argumentos do Ministério Público Federal (MPF) e determinou que o ex-presidente Michel Temer (MDB) seja custodiado na Unidade Prisional da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, em Niterói, na região metropolitana. 

Bretas estendeu a mesma decisão a Moreira Franco, "por ter exercido o cargo de ex-ministro de Estado até o recente dia de 31/12/2018", e a João Baptista Lima Filho, coronel reformado da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

No local, também está preso o ex-governador do Rio Luiz Fernando Pezão, do mesmo partido de Temer. Pezão está em uma cela especial por prerrogativa de cargo, mas, segundo a PM, sua rotina é igual à dos demais presos.

A Polícia Federal cumpriu mandado de prisão preventiva contra o ex-presidente Michel Temer na manhã desta quinta-feira (21/3). A prisão ocorreu na casa de Temer, no bairro de Pinheiros, em São Paulo, após autorização do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio. Às 16h26, o jato da PF que levará o ex-presidente para o Rio de Janeiro decolou do aeroporto de Guarulhos. Temer ficará detido em uma cela especial da Unidade Prisional da Polícia Militar, em Niterói (RJ).

Propina custeou parte da reforma da casa de filha de Temer

A propina oriunda do contrato de construção de Angra 3, segundo o Ministério Público Federal, custeou parte de reforma na casa de Maristela Temer, filha do ex-presidente Michel Temer.

A Procuradoria afirma que o coronel Lima, amigo de Temer, além de administrar as obras, empregou na reforma vantagens indevidas recebidas pelo grupo criminoso, em típico ato de lavagem de dinheiro.

Foi identificado o uso do e-mail da Argeplan, empresa de Lima, na transmissão de recibos de pagamentos de materiais e serviços, além da atuação de funcionários da empresa na reforma.

Relatório policial indica que contratados da obra disseram que receberam a maior parte do pagamento em dinheiro vivo, em valores que podem ultrapassar R$ 1,5 milhão.

Defesa de Temer entra com pedido de habeas corpus no TRF-2

A defesa do ex-presidente Michel Temer (MDB) ingressou com pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2). O recurso foi distribuído para o desembargador federal Ivan Athié.

Segundo o tribunal, o magistrado ficará encarregado de analisar a questão por prevenção, já que se trata de caso conexo com a Operação Pripyat, que é de relatoria dele. 

A Pripyat foi deflagrada em julho de 2016 no Rio de Janeiro e Porto Alegre, e tem como alvo o ex-presidente da Eletronuclear Othon Luiz Pinheiro da Silva. Até agora, só os advogados de Temer entraram com pedido de habeas corpus no tribunal em relação à operação deflagrada hoje.

 

 

Da Redação com informações do Estadão Conteúdo e Folhapress
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir