Cidadeverde.com
Esporte

Lugano diz que ameaça corintiana de não jogar final dá poder a bandidos

Imprimir

O ex-zagueiro Diego Lugano, superintendente de relações institucionais do São Paulo, lamentou o discurso do presidente corintiano Andrés Sanchez dias antes da realização do clássico entre as equipes no estádio do Morumbi, pela primeira partida da final do Campeonato Paulista.

"Este tipo de declaração é perigosa. Você acaba dando 'poder' a bandidos, que representam 0,00001% de qualquer torcida organizada. E se alguém infiltrado atirar uma pedra no ônibus? Duvida que aconteça? Parece-me o tipo de postura de quem não jogou futebol", comentou, em entrevista a ESPN Brasil.

Andrés avisou nesta sexta-feira, reforçando o teor de um ofício enviado ao São Paulo e à Federação Paulista de Futebol, que o Corinthians não vai entrar em campo caso o ônibus da equipe seja apedrejado na entrada do estádio. E garantiu que a possibilidade de perder o jogo por W.O. por causa não vai alterar o posicionamento do clube.

Para Lugano, o debate foi inapropriada e ele espera que não exista outros interesses por trás desse discurso sobre a segurança da partida. "Só espero que a intenção neste barulho todo prévio não seja diminuir a festa da nossa torcida, tradicional na chegada do São Paulo ao estádio", afirmou o dirigente tricolor.

Em grandes jogos no Morumbi, a torcida do São Paulo costuma fazer um corredor de festa, com luzes pisca-pisca, bandeiras de mastro e fumaça, para receber os jogadores que chegam de ônibus. Algumas vezes, o veículo que transporte a equipe visitante é alvo de latas de cerveja e até pedras. Segundo a Polícia Militar, a segurança nos arredores do Morumbi será a costumeira de grandes jogos decisivos.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir