Cidadeverde.com
Geral

Papagaio criado em boca de fumo grita "Mamãe, Polícia!" ao ver policiais

Imprimir

Foto: Reprodução

Um papagaio criado em uma boca de fumo gritou "Mamãe, Polícia!" ao perceber a entrada de policiais militares na casa em que estava, localizada na Vila Irmã Dulce, zona Sul de Teresina. O caso ocorreu na tarde de segunda (22) e chamou a atenção dos policiais, que chegaram a duvidar da cena.

"Ele estava no quarto da casa. Quando a gente entrou disse 'Mamãe, Polícia!', mas disse uma vez. Lá na (Central de Flagrantes), ele ficou falando só 'Mamãe, Mamãe'", disse o cabo Kleber Alves, do 17º Batalhão da Polícia Militar, que presenciou a cena junto com o cabo C. Almeida. 

O cabo Kleber contou ao Cidadeverde.com que a Polícia Militar já tinha informações que na residência ocorria a venda de entorpecentes e, somente ontem, conseguiram fazer o flagrante. 

"Estávamos fazendo ronda e vimos o usuário saindo da casa. Fizemos a abordagem e encontramos a pedra de crack. Fizemos o flagrante. Na casa a filha da dona do papagaio escondeu droga no sutiã. Encontramos crack e maconha no local", disse kleber.

O esposo da "mãe do papagaio", a filha e o usuário foram conduzidos à Central de Flagrantes de Teresina. 

A ave foi apreendida pelo Batalhão de Policiamento Ambiental, que a encaminhou  por meio de ofício  ao Zoobotânico de Teresina.



De acordo com o major Francisco Melo, do 17º BPM, a ave foi apreendida por ser um animal silvestre e sua criação em meio domicílio é proibida, de acordo com a lei ambiental 9.605/98, que dispõe sobre a proibição do cativeiro de aves. 

A polícia acredita que a ave foi treinada para denunciar a chegada da PM no local devido o comércio ilegal de drogas. 

"O papagaio como é um animal silvestre foi levado pelo pessoal do Batalhão de Policiamento Ambiental. Esses animais são entregues no Zoobotânico. Eu mesmo não acredito que o papagaio vai ter esse entendimento, porque ele só repete as coisas, a menos que ele tenha sido submetido a um adestramento muito bom. O papagaio não foi apreendido por isso, mas por ser um animal silvestre", esclareceu o major Melo. 

 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Imprimir