Cidadeverde.com
Viver Bem

Superalimentos que devem fazer parte da sua dieta

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

Você já deve ter ouvido falar de superalimento, termo usado por quem busca um estilo de vida mais saudável. Ele define uma série de alimentos que possuem tantos benefícios que seu consumo é ainda mais indicado que os demais. Gengibre e açaí são os mais lembrados, mas há outros.

A famosa aloe vera, também chamada de babosa, é uma planta muito conhecida pelos seus poderes medicinais. Seu gel é usado como anti-inflamatório e cicatrizante, ajudando a tratar problemas que vão de dermatite a feridas, bem como em massagens, aliviando tensões de uma maneira geral.

Babosa

Mas se engana quem pensa que a babosa não pode ser consumida, porque sua ingestão também é muito benéfica para a saúde. Além de ter todos os benefícios já mencionados ela ainda ajuda na digestão e fortalece o sistema imunológico

Couve-flor

Além de ter baixo valor calórico, é rica em fibras, o que evita problemas relacionados ao trânsito intestinal. Possui ainda vitaminas A, C e K e também se destaca por ter boas quantidades de diversos minerais, o que inclui ferro, cálcio, potássio e manganês.

Ghee

Espécie de manteiga clarificada, é uma ótima substituição. Não só da manteiga comum como também da margarina. O ghee é muito bom para a digestão, não apenas pela composição química, mas porque favorece a produção de sucos gástricos, permitindo o bom funcionamento do sistema digestivo.

Teff

Pode ser consumido tanto na forma de grãos como sua farinha pode ser usada no preparo de pães e bolos, por exemplo. Um dos seus grandes diferenciais é a forte presença de aminoácidos essenciais. Além disso, possui boas quantidades dos minerais magnésio, potássio, manganês, ferro, zinco, cobre, e cálcio, além de ser rico em vitamina C.

Maca peruana

Possui um alto valor nutritivo, sendo rica em proteínas, vitaminas e minerais. Além disso, estudos indicam que ela pode aumentar o número de espermatozoides, contribuindo para a fertilidade masculina.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir