Cidadeverde.com
Política

General Mourão diz que democracia é o melhor sistema de governo e que ela está em crise

Imprimir

Foto: Roberta Aline/ FCDL

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB), cumpre extensa agenda no Piauí desde esta sexta(26). Ele chegou a Teresina ainda na quinta e depois de participar de diversas solenidades oficiais, segue, de carro, neste sábado para a terra natal de seu pai, Pedro II (a 195 km da capital) onde participa de almoço com familiares.

Na noite de ontem, o vice-presidente participou da abertura da 24ª Convenção Lojista do Piauí e em seu discurso citou que a democracia liberal é o melhor dos sistemas de governo. Ele também "elogiou" o governador Wellington Dias e o prefeito Firmino Filho sobre reforma educacional e concluiu que é preciso ter "liberdades". 

O início da fala de Hamilton Mourão foi voltada para os lojistas sobre serem o termômetro das transformações e expectativas econômicas. Ele completa dizendo que o Brasil tem o desafio de superar "o baixo dinamismo e o ambiente de negócios burocrático, defasado e pouco competitivo".  

Mourão disse que o caminho para enfrentar o desafio é longo e só termina no final do mandato no dia 1º de janeiro de 2023, data que terá dados passos "decisivos" para que o Brasil seja "a maior, a mais vibrante e a mais próspera democracia do Hemisfério Sul". E completa que é o melhor sistema de governo. 

"Lembro aqui, meus colegas do executivo e do legislativo, que a democracia liberal é o melhor dos sistemas de governo. Ela enfrenta uma crise, enfrentou outras: ela venceu o imperialismo, na primeira guerra mundial, na segunda, venceu o nazofacismo, depois enfrentou o flagelo do comunismo. E hoje ela se depara com uma nova encruzilhada, onde parece que a população do mundo perdeu a fé no sistema e em seus representantes, então compete a nós, políticos de todos os martizes, resgatarmos a credibilidade da política com P maiúsculo, nos emanarmos, buscarmos o diálogo, sermos eficientes e efetivos pelo bem daquele que nos elegeram", afirmou o vice-presidente.

Foto: Roberta Aline/ FCDL

Ao citar as duas reformas (Previdência e Segurança) que estão em tramitação no Congresso, classificando como "determinantes para o futuro" do país, Mourão também citou que é preciso articular outras ações para assegurar o crescimento da economia e da sustentabilidade fiscal do governo. Neste momento, o vice-presidente "elogiou" o governador Wellington Dias e o prefeito de Teresina, Firmino Filho, citando que "é de gente assim que precisamos".   

"No campo da produtividade, precisaremos realizar a reforma tributária, normalizando esse sistema caótico e o peso das alíquotas que é um fardo nas costas de todos aqueles que desejam produzir, precisamos  abrir nossa economia, privatizar empresas públicas que não são mais necessárias, melhorar o ambiente de negócios e principalmente reformar nosso sistema educacional e aqui governador, lhe cumprimento e o prefeito de Teresina, naquilo que o senhor mencionou muito bem em suas palavras, é de gente assim que precisamos, governador. Vamos retirar o peso do Estado das costas de quem emprega e produz", declarou.  

Ao concluir o discurso de cerca de 20 minutos, Hamilton Mourão citou o ex-presidente dos Estados Unidos, Franklin Delano Roosevelt, sobre as "liberdades" dispostas ainda na década de 1940: liberdade de expressão, religiosa, viver sem penúria e de viver sem medo, adequando-as à realidade brasileira. 

"É firme o pensamento do presidente Bolsonaro, que ao terminarmos o nosso mandato,  dentro desse nosso Brasil aquilo que em seu discurso, o estado da união no ano de 1940 um grande homem, o presidente Franklin Delano Roosevelt, chamou das quatro liberdades, então que nesse país, seja assegurada a liberdade de expressão, liberdade da opção religiosa, a liberdade de não sermos submetidos às vontades de outros e a liberdade de andarmos em nossas ruas sem termos medo", concluiu.

Foto: Roberta Aline/ FCDL


Caroline Oliveira
[email protected]

Imprimir