Cidadeverde.com
Viver Bem

Dieta ajuda a combater o problemas das gases

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

Eles incomodam, mas há forma de lidar com o problema dos gases. E ela passa pela alimentação. A dieta para isso deve ser feita com legumes ricos em água e de fácil digestão - como alface e tomate - que ajudam no correto funcionamento do intestino e fazem com que a flora intestinal produza menos gás, diminuindo assim o desconforto e a dor abdominal.

Mas, o que são os gases?

Em condições normais, a maior parte dos gases vem da boca. Apenas 10% surgem na fermentação do alimento ao longo do nosso intestino grosso. O resto nada mais é do que ar que engolimos durante a alimentação ou mesmo bolhinhas de ar presente na saliva ou em bebidas gaseificadas (refrigerantes e cerveja, principalmente).

Esses gases percorrem todo o tubo digestivo até encontrarem os produzidos pela ação de bactérias sobre a comida. Juntos, eles chegam à ampola retal – a última parte do tubo digestivo, que termina no ânus – e ali ficam comprimidos até serem liberados.

Alimentos que são vilões

O consumo em excesso de alimentos que aumentam a produção de gases deve ser evitado. Além disso, recomenda-se também a ingestão diária de 1,5 a 2 litros de água ou chás, como chá de funcho ou erva-doce, por exemplo, que são plantas que ajudam a eliminar os gases.

Eis alguns alimentos que provocam o aumento nos gases: feijão, milho, ervilha, lentilha, grão-de-bico; brócolis, repolho, cebolas, couve-flor, pepino, couve-de-bruxelas, nabo; leite e queijo, especialmente integrais e com muita gordura; carnes, mariscos e ovos, além de refrigerantes e outras bebidas com gás.

Tratamento

O mais interessante e fácil para excesso de gases é a simples mudança da dieta. Mantenha um registro de alimentos e bebidas que você ingere para conseguir identificar quais as comidas são mais incômodas e procure evitá-las. É importante também praticar exercícios físicos e diminuir o estresse, além de equilibrar a alimentação.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir