Cidadeverde.com
Viver Bem

Pedestrianismo: conheça os fatores e como evitar a náusea

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

Você se preparou meses para uma prova. Mas sentiu náuseas durante a corrida, algo que atrapalhou seu objetivo. Ou terminou o percurso, mas teve o mesmo sintoma após a linha de chegada e sequer conseguiu comemorar o resultado.

Uma série de fatores pode dar origem ao problema. Veja quais são e como você pode evitar essa situação durante ou após uma corrida.

Causas

A náusea, seguida ou não de vômitos, é causada principalmente quando o atleta ultrapassa sua capacidade cardiorrespiratória ou não está adequadamente preparado para aquela atividade. Quando o esforço é excessivo, pode produzir um problema conhecido como reflexo vagal, levando a náuseas e, muitas vezes, ao vômito.

O excesso de alimentação, com nutrientes de difícil digestão ou a falta de comer corretamente também são fatores importantes. A ansiedade psíquica pode levar a alterações gastrointestinais. E obviamente as infecções por ingestão de alimentos contaminados.

O que fazer?

Se a causa não for desconhecida, o melhor é parar e tentar se hidratar lentamente. Por exemplo, quando o atleta participa de provas em outras cidades ou países e recebe a informação sobre alimentos estragados ou de difícil digestão.

Se você excedeu sua capacidade e está muito cansado, pode tentar diminuir o ritmo da corrida. Mas se não houve causa conhecida, o melhor é você sair da prova e proceder a um exame médico minucioso para se afastar causas gastroenterológicas ou neurológicas.

Como evitar?

Algumas dicas são bem úteis. A primeira é fazer uma correta aclimatização, no caso de provas em cidades diferentes e após viagens. Outra é adotar uma alimentação rica em carboidratos no dia anterior à prova e com pouca proteína e gordura, que são de difícil digestão.

Também é recomendado controlar a ansiedade, assim como não ultrapassar o ritmo previsto, principalmente, em provas de longa distância. Por fim, faça hidratação com bebidas isotônicas. Afinal, elas promovem uma reposição de água e eletrólitos mais rápida e eficaz.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir