Cidadeverde.com
Geral

Justiça reduz em dez anos a pena dos assassinos do major Mayron

Imprimir

Foto: Arquivo

A 1ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça (TJ-PI) reduziu, em dez anos, as penas dos dois condenados por matar o ex-comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, major Mayron Moura Soares. Ele foi morto no dia 21 de março de 2017, após ser atingindo com um tiro durante assalto, na região do Grande Dirceu, zona Sudeste de Teresina. Os acusados levaram o celular da vítima.

Iranilson Pereira dos Santos e Wallison Jonatas Dantas Rodrigues de Sousa foram condenados a 33 anos e quatro meses pelo crime de latrocínio. A pena agora passa a ser de 23 anos e quatro meses. Eles foram julgados em setembro de 2017. A sentença foi dada pela juíza Júnia Maria Feitosa Bezerra Fialho, da 4ª Vara Criminal de Teresina.

Na apelação, a defesa dos condenados alegou que a tentativa de homicídio contra o filho do major, que também estava no local, foi na verdade uma consequência da ocorrência com o pai, a chamada continuidade delitiva. "Em consequência, e de forma diversa ao entendimento do magistrado a quo, é de se considerar que foram praticadas em continuidade delitiva e não em concurso material", alegou a defesa.

Por unanimidade, os componentes da 1ª Câmara Especializada Criminal consideraram os delitos praticados em continuidade delitiva, reduzindo a pena imposta a cada um dos apelantes para 23 anos e 4 meses de reclusão, a ser cumprida inicialmente no regime fechado.

O crime

O major esperava a filha na parada de ônibus – próximo à sua residência - quando foi abordado por dois homens em uma moto. Ele estava acompanhado do filho, que também foi alvo de um disparo, mas não chegou a acertar.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Imprimir