Cidadeverde.com
Geral

Animais resgatados são soltos no Parque Lagoas do Norte

Imprimir

Foto: Ascom/Semplam


O Parque Lagoas do Norte recebeu, na manhã desta sexta-feira (7), 36 cágados de barbicha resgatados na região. Os animais são recolhidos pelo Instituto Cabar, que recolhe e trata os espécimes feridos, geralmente vítimas de atropelamento, e após recuperados, são postos novamente na natureza. A ação ocorreu simultaneamente com a Blitz ambiental realizada pela SEMAM, em parceria com o Batalhão de Polícia Ambiental e a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente.

O cágado de barbicha é comum na Zona Norte da cidade, tendo como habitat natural as lagoas características da região. Durante o período chuvoso, é comum que estes animais transitem entre uma lagoa e outra, mas muitos são atropelados durante essa travessia. O Instituto Cabar se propõe a recolher os bichos e tratá-los até que possam voltar à natureza.

“Através do Projeto Cabar, esses animais são resgatados no período chuvoso, geralmente vítimas de atropelamentos pelos veículos que trafegam na região. São resgatados, colocados em um centro de triagem, e após ficarem aptos para voltar ao meio ambiente, são soltos aqui no Parque Lagoas do Norte”, contou Zelinda de Oliveira, bióloga do Programa Lagoas do Norte.

A soltura foi feita por crianças de escolas da região e também da Legião da Boa Vontade (LBV). Os voluntários do programa, no entanto, fazem um alerta: o número de animais vistos na região vem diminuindo a cada ano, sinal de que a espécie pode estar correndo risco de desaparecer daquela área.

“Infelizmente o motorista não tem a educação de frear ao ver qualquer tipo de animal. O número de animais vem diminuindo a cada ano, e agora estão em zona de alerta para entrar em extinção”, afirmou Jaqueline Lustosa, presidente do Instituto Cabar.

“O núcleo de educação ambiental do PLN mensalmente faz atividades de conscientização nas escolas e com a população da região objetivando a despertar a importância da preservação desses animais para o meio ambiente”, ressaltou Zelinda.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir