Cidadeverde.com
Viver Bem

Gergelim é muito mais do que decoração de pães

Imprimir

O “pão com gergelim” ficou famoso nos sanduíches daquela famosa rede de fast food. Mas você sabia que o gergelim pode ir muito além disso? Muitas pessoas conhecem suas sementes apenas como elemento decorativo de pães. No entanto, ele merece toda a atenção, por sua importância nutritiva e seus muitos benefícios à saúde.

Consumido desde a antiguidade, é uma semente muito versátil: sua capacidade de consumo vai muito longe Ele pode ser consumido em forma de saladas, óleo, como bolos, biscoitos, manteiga, leite, entre outros. Conheça alguns benefícios:

Emagrece

O gergelim pode ser um ótimo auxiliar na perda de peso. Por conter muitas fibras, o gergelim auxilia no correto metabolismo dos alimentos, prevenindo problemas de saúde, como prisão de ventre e hemorroidas.

Previne doenças cardiovasculares

A presença de gorduras boas faz do gergelim um excelente alimento para ajudar na redução do colesterol ruim – o LDL. A semente possui ainda fitoesterois, que impedem a passagem do colesterol para o sangue, prevenindo uma série de doenças, como AVC e infartos.

É bom para a pele

O gergelim é rico em antioxidantes e em zinco. Os antioxidantes previnem o envelhecimento precoce e protegem dos efeitos nocivos dos raios solares. Já o zinco atua na produção de colágeno, responsável por dar elasticidade a pele.

Combate a anemia

Abundante em ferro, as sementes de gergelim também ajudam na prevenção da anemia, tendo em vista que o ferro é responsável por levar o oxigênio para o sangue.

É bom para os dentes

O gergelim também atua evitando a formação de placas bacterianas, quando usado em forma de óleo. O fósforo presente nos grãos ajuda a manter os ossos e dentes mais fortes.

Anti-inflamatório natural

As sementes de gergelim também têm potencial anti-inflamatório, prevenindo assim dores nos ossos e músculos.

Poder calmante

Entre os nutrientes presentes no gergelim, estão o triptofano e a tiamina, dois importantes estimulantes da produção de serotonina, hormônio responsável pelas sensações de bem-estar do cérebro. Já o cálcio e magnésio atuam reduzindo os sintomas da ansiedade.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir