Cidadeverde.com
Política

Firmino diz que governo Bolsonaro faz estratégia política com Previdência

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

O prefeito Firmino Filho diz ser uma "estratégia política" a decisão do relator, deputado Samuel Moreira,  de retirar do texto da reforma da Previdência, os Estados e os Municípios. Ele diz que essa seria uma "pressão" para que o Congresso aprovasse o texto.

"A nossa desconfiança é que a retirada de Estados e Municípios se deve a uma estratégia política. Aparentemente existe a retirada para que os governadores possam se mobilizar para a aprovação no plenário. Vamos esperar que de fato isso seja verdade", disse.

Firmino Filho afirma que é "irracional" deixar Estados e Municípios de fora do texto.

"A retirada de Estados e Municípios cria uma irracionalidade. É  discussão em 27 Estados, em mais de dois mil municípios que têm regime próprio. Vamos ter milhares de diferentes regimes previdenciários no Piauí", destacou. 

Ele lembra que se Estados quebrarem, a conta cairá na União. "Se qualquer um desses regimes quebrarem, a conta vai chegar para a União. Se o Piauí quebrar de uma forma ou de outra, por meio de um empréstimo, vamos buscar ajuda da União. É  apenas postergar. O mercado financeiro também vai reagir negativamente", disse.

Nesta sexta-feira(14), o governador Welllington Dias (PT) também criticou a retirada do texto e afirmou que foi uma quebra de acordo já realizada com os governadores. Já o deputado federal Júlio César (PSD) acredita que o plenário vai reverter esta retirada.

O relatório foi lido nesta quinta-feira(13) na Comissão Especial sobre a Reforma da Previdência e ainda passará por apreciação das comissões antes de chegar ao plenário das duas Casas. 

 


Flash de Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com

Imprimir