Cidadeverde.com
Geral

Pastor acusado de roubo e deficiente físico estão entre presos em operação na Capital

Imprimir

A Divisão de Capturas (Dicap) da Polícia Civil do Piauí deflagrou a segunda fase da operação Cerco Fechado para cumprir mandados de prisão em aberto. Mais de dez pessoas foram presas nas primeiras horas desta terça-feira (18) acusadas dos mais variados crimes como roubo, tentativa de homicídio e receptação. 

Entre os presos há uma pessoa com deficiência suspeita de roubar a arma de um policial e o pastor de uma igreja evangélica acusado de roubo.

"O mandado de prisão contra o deficiente físico é por tentativa de homicídio e roubo da arma de um policial civil na Capital. Ele atentou contra a vida desse policial, o esfaqueou e depois levou a arma. Já o pastor está sendo preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva por um crime de roubo, considerado um crime grave, porque submete a vítima, mediante violência ou grave ameaça, a entregar o bem", disse o delegado Willame Moraes, coordenador da Dicap. 

Em entrevista à TV Cidade Verde, o pastor identificado como Maurício Pereira Nascimento se disse injustiçado com a prisão. 

"Sou um homem de Deus. Toda Teresina sabe disso aí. Sou um homem ganhador de almas pra Jesus, sou evangélico. O que tô passando aqui é injustamente. Foi há 13 anos e tô com dez anos que sou evangélico. Trabalho dentro do sistema carcerário pregando a palavra de Deus. Sou um homem de Deus, tô aqui injustamente. O que está sendo feito não é correto. Nunca mudei de endereço, nunca mandaram me avisar", argumentou o pastor em entrevista à TV Cidade Verde. 

As ordens de prisão estão sendo cumpridas em Teresina. A Dicap ainda não divulgou a lista completa com os nomes dos presos que estão sendo levados para a sede da Delegacia Geral no centro da cidade. 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir