Cidadeverde.com
Destaques da TV/Rádio

Terreiro é proibido de tocar tambor e fazer defumação

Imprimir


O terreiro de umbanda Tenda Santa Luzia, no bairro São Pedro, zona Sul de Teresina, não pode mais praticar alguns de seus rituais, como o tambor e a defumação. Essas proibições são resultado de uma ação movida pelos vizinhos, o que, segundo o pai de santo Eudes da Oxum Apará, significa intolerância religiosa.

"Viver em paz e harmonia é necessário e é o que nós queremos. Queremos expressar nosso louvor e religiosidade. Acreditamos em Oxalá, na força maior e nos ensinamentos de Cristo porque nossa religião é cristã, nossos guias cobram da gente todo dia a tolerância e amor ao próximo", argumenta o pai de santo, alegando que todos os dias sofre intolerância religiosa e atualmente trava uma batalha judicial em Teresina.

Mais de 400 terreiros de umbanda já foram mapeados em Teresina, mas o preconceito religioso ainda é grande. Em 2017, imagens da Tenda Santa Luzia foram quebradas e parte das cortinas queimadas.

"As autoridades têm que buscar os responsáveis. Se não houver uma forma de fazer justiça, as pessoas vão continuar com essas ações", lamenta o pai de santo Eudes da Oxum Apará.

Além dos umbandistas, quem também sofre preconceito em Teresina são os praticantes do islamismo. O delegado dos Direitos Humanos Sebastião Escórcio afirma que está intensificando as ações de punição em casos de intolerância.

"As punições são bem gravosas, estão dentro da Lei do Racismo, com penas de 3 a 5 anos. No entanto, na prática, é de difícil elucidação porque esses locais de culto, quando são vilipendiados, isso acontece mais no período noturno, aí fica difícil identificar o autor. Mas, tem casos de pessoas que xingam que já foram até condenadas", alerta o delegado.

Jordana Cury
Com informações do Notícia da Manhã.
jordanacury@cidadeverde.com

Imprimir