Cidadeverde.com
Viver Bem

Fonte de vitamina A, ruibarbo é conhecido como planta medicinal

Imprimir

Foto: Pixabay

Apesar de não ser muito conhecido ou usado no Brasil, o ruibarbo é uma planta medicinal extremamente benéfica e terapêutica. De origem asiática, é muito usado no preparo de chás e sobremesas com frutas (como geleias e cremes). Além disso, a hortaliça também é utilizada na culinária europeia como tempero. Conheça mais a partir de agora:

Fonte de vitamina A

Essa substância auxilia na saúde dos olhos, pois protege a córnea e também combate a degeneração macular. Além disso, o ruibarbo possui o antioxidante luteína, que protege a mácula dos olhos. Vale destacar que a vitamina A também tem efeito antioxidante (bom para a saúde da pele), fortalece a imunidade e ajuda a reduzir o colesterol ruim (LDL).

Alto teor de potássio

Outro ponto positivo é que ele é fonte de potássio - um mineral importante para a saúde da musculatura (pois auxilia no processo de contração e relaxamento dos músculos) e também do coração e dos ossos. Vale destacar que esse mineral combate substâncias maléficas que “roubam” o cálcio dos ossos.

Fonte de antioxidantes importantes

Assim como muitos vegetais, o ruibarbo é fonte de antioxidantes que contribuem para o sistema cardiovascular. Isso porque eles combatem a ação oxidante dos radicais livres relacionados a doenças do coração. Além disso, o ruibarbo também fortalece o sistema imunológico por ser fonte de selênio e vitamina A

Ele possui ainda um bom valor nutricional, pois tem alto teor de diversos minerais (potássio, magnésio e selênio, por exemplo), vitaminas e até mesmo fibras que auxiliam na digestão.

Que tal um chazinho?

Uma boa dica para incorporar o ruibarbo a sua alimentação é usá-lo no preparo de chás terapêuticos. Afinal, com todos os benefícios que nós já citamos, a hortaliça acaba sendo um ótimo ingrediente fitoterápico. Dá para criar receitas com outras ervas e raízes, tais como hortelã, camomila e gengibre, que compõem chás bem nutritivos e benéficos à saúde.

 

Fonte: Folhapress
 

Imprimir