Cidadeverde.com
Política

Na Assembleia, Rafael Fonteles anuncia pedido de empréstimos acima de R$1 bilhão

Imprimir

 

Fotos: Roberta Aline/Cidadeverde.com

O secretário de Fazenda, Rafael Fonteles,  participou de audiência nesta quinta-feira (11) sobre os dados financeiros do primeiro quadrimestre de 2019. Durante a reunião com deputados, ele anunciou que o governo irá encaminhar para a Assembleia Legislativa do Estado pedido de empréstimo acima de R$1 bilhão.

Segundo o secretário, a equipe econômica faz o estudo sobre a instituição financeira e sobre a aplicação do recurso. Fonteles afirma que o governador Wellington Dias irá pessoalmente à Assembleia levar informações sobre o empréstimo.

"Pode ser instituição privada. Não descartamos. Estamos fazendo o estudo para saber qual a melhor estratégia. Precisamos analisar questões como taxas, dependência ou não do dólar. Tudo isso é levado em conta. Pode ser R$ 1 bilhao ou acima disso", afirmou.

O recurso do empréstimo deve ser usado em investimentos.   Segundo o secretário, o estado não tem condições de fazer investimentos com recursos próprios. 

Sobre a meta de redução das despesas em R$400 milhões, o secretário diz que já se alcançou 75% da meta.

"Confirmamos uma redução das despesas em R$200 milhões e crescimento acima de R$ 200 milhões. Isso mostra que o esforço de ajuste fiscal teve efeito. A despesa com pessoal continua acima do limite prudencial imposta pela Lei de Responsabilidade. Já atingimos mais de R$300 milhões da meta de R$ 400 milhões. Continuamos perseguindo. Não existe medida simples feita. Já fomos mais de 75% e até o final do ano chegaremos a 100% da meta", destacou.

Rafael Fonteles afirma que a dívida do estado tem se reduzido ao longo do tempo. O valor passa de R$ 1 bilhão. "A dívida consolidada continua acima de R$ 5 bilhões, mas vai reduzindo. As operações de crédito podem ser solicitadas. A cada ano diminui", destacou.

Para aumentar as fontes de recursos, o governo deve colocar em venda parte dos precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). 

“Estamos estudando essa possibilidade de colocar à venda o precatórios do Fundef. A idéia é que pelo menos parcialmente. Não adianta antecipar um volume tão grande de recursos se não vai utilizar. Apenas a parte que for utilizar em curto prazo. O valor do precatório é de 1, 5 bilhão. O governador ainda não decidiu qual valor exato irá antecipar”, destacou.

Flash Lídia Brito
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir