Cidadeverde.com
Geral

"Prender marido era inimaginável", diz Vilma Alves ao comemorar 30 anos da delegacia

Imprimir
  • alepi-14.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-13.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-12.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-11.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-10.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-7.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-6.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-5.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-4.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-3.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi-2.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • alepi.jpg Roberta Aline / Cidade Verde


Ao comemorar os 30 anos da Delegacia da Mulher, na manhã desta segunda-feira (15), a delegada Vilma Aves, fez desabafos,  avaliou as conquistas e criticou a falta de estrutura.

Ao lado do secretário de Segurança, Fábio Abreu, Vilma reclamou que a única viatura do Distrito foi retirada e causa um prejuízo no trabalho diário.

Segundo Vilma Alves, o veículo foi entregue pela ex-presidente Dilma Rousseff que autorizou também a Casa da Mulher em Teresina. 

"Eu fui a Câmara dos Deputados, a presidente Dilma, na época, e ganhamos uma viatura. Exigimos nossa viatura de volta", afirmou Vilma Alves. 

Ao falar, o secretário Fábio Abreu garantiu que retornará a viatura e que irá criar uma patrulha especial para atendimento as mulheres, com guarnição 24horas à disposição das delegacias da Mulher.

Sobre a transferência do prédio das Delegacias Especializadas, o secretário disse que a Delegacia da Mulher ficará em uma sala no antigo prédio do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), na 24 de janeiro, ou em um edifício próximo ao Verdão.

Fábio Abreu anunciou que as delegacias do Trânsito, Idoso, Virtual e Direitos Humanos vão ficar no antigo prédio do Plamta, no bairro Marquês.

Imagine, prender marido

Vilma lembrou que há 30 anos, só tinha a Constituição de 1988 e o Código penal para defender as mulheres. Hoje, com a promulgação da Lei Maria da Penha os avanços são imensos, até mesmo culturalmente, diz Vilma Alves.

"Imagine, prender marido era inimaginável. No século passado isso era um absurdo. Ainda hoje é absurdo, mas esquecem que aquela mulher está machucada, humilhada, xingada, apanhada, submissa à ordem, em cárcere privado e sofrendo tortura psicológica", disse Vilma.

Segundo ela, a data é para comemorar e que a violência está em todas as classes sociais.

Participaram da solenidade as delegadas Anamelka Cadena (gestão interna), Daniela Barros (Idoso), Erika Aguiar (Trânsito), além do advogado Lúcio Tadeu (OAB) e mulheres que estavam na delegacia para serem atendidas. 

A delegada Maria das Graças, uma das idealizadoras da Delegacia da Mulher junto com Vilma, foi homenageada na solenidade.

Anamelka destacou que Vilma popularizou a Lei Maria da Penha e é uma delegada que briga por melhoria de estrutura.

Fábio Abreu ressaltou ainda que o trabalho de Vilma é reconhecido nacionalmente. Afirmou que em 30 dias fará a transferência das delegacias para outro prédio. 

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Imprimir