Cidadeverde.com
Política

Ameaçado de expulsão, major Paulo Roberto se diz perseguido

Imprimir

Foto: Arquivo Cidade Verde

O diretório Nacional do Solidariedade enviou documento para a direção estadual pedindo explicações sobre a postura do vereador major Paulo Roberto. De acordo com denúncia feita por um candidato a deputado estadual, em 2018, ele teria sido infiel  ao apoiar um candidato de outra legenda. 

Major Paulo Roberto afirma que não foi notificado pelo partido e se diz perseguido pelo presidente estadual, deputado Evaldo Gomes. 

"Não fui notificado. Só ouvi um barulho. Não tem provas. Para expulsar um político tem que ter processo. Devo ser ouvido. Seria mais delicado o presidente Evaldo Gomes fazer uma carta dizendo que não me quer no partido. Ele veio de fora, chega no meu partido e começa essa perseguição. Ele nem era presidente na época. Era o Dr. Pessoa. Só ele poderia dizer se sou ou não traidor", disse.

O vereador diz que a perseguição se deve ainda a disputa pelo comando da Comissão Expedidora de Certeira Estudantil de Teresina (CMEEI). 

"Me sinto perseguido. É vergonha para Evaldo Gomes, perseguir vereadores e membros do partido. É uma perseguição pela questão da CMEEI. Fizemos uma CPI na Câmara. Deputado deveria era cuidar do partido e não fazer perseguição", afirmou.

Ele pede que o denunciante tenha o nome revelado. 

"Quem é esse candidato que me denunciou? Vou ficar no partido até a hora que quiser. Não saio do partido. A Justiça vai ser feita", destacou.

O deputado Evaldo Gomes afirma que apenas cumpriu o papel de presidente ao encaminhar a denúncia para a nacional. 

"Não temos nada com essa denúncia. Nem eu nem ninguém do meu grupo. Um candidato se sentiu prejudicado entregou com o processo. Não vamos política em algo interno ", afirmou.

 

Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com

 

Imprimir