Cidadeverde.com
Viver Bem

Entenda como a dieta pode ajudar na incontinência urinária

Imprimir


A incontinência urinária é um problema que atinge homens e mulheres de todas as idades - jovens, adultos, idosos e até mesmo crianças. E, como em todos os aspectos da nossa vida, a alimentação tem um papel muito importante: quando feita de forma adequada (e com algumas estratégias), pode ajudar a combatê-la.

O que é e quais são os sintomas

Trata-se da liberação involuntária de urina, que pode ocorrer em diversas situações. Só que esse não é um problema exclusivo de pessoas mais idosas. Ela pode ocorrer por conta da obesidade, em períodos de gravidez ou por causa de doenças que comprimem a bexiga.

Os sintomas mais comuns são a perda de urina quando a pessoa tosse, ri ou espirra. Além disso, existe a sensação de que a bexiga está sempre cheia e de que é necessário fazer mais força para a urina sair.

Faça uma reeducação alimentar

Para quem sofre com a incontinência urinária, o mais importante é repensar toda a rotina de alimentação. Alguns alimentos podem agravar ainda mais o quadro - caso da cafeína (muito presente no pó do café, em refrigerantes, bebidas energéticas e alguns tipos de chás), que acaba funcionando como diurético.

Também é importante reduzir a quantidade de açúcar, pois caso a glicemia (taxa de glicose no sangue) esteja alta, o seu corpo tentará eliminar o seu excesso através da urina. Para tratar a incontinência urinária, o mais indicado é consultar um nutricionista para relatar o problema e, então, planejar uma dieta que exclua possíveis alimentos maléficos para o problema.

Evite alimentos picantes

Além de reduzir a quantidade de café, também será necessário abrir mão dos alimentos picantes, como os diferentes tipos de pimenta (biquinho, do reino, malagueta, jalapeño). Isso porque podem irritar a bexiga, o trato urinário e, assim, piorar o controle de saída da urina.

Diminua frutas cítricas e alimentos diuréticos

Outros alimentos diuréticos que também precisam ser evitados neste período, tais como as frutas cítricas (tomate, limão, laranja e abacaxi, por exemplo), cebola e outros ingredientes mais ácidos. Isso porque também podem irritar a bexiga, além estimular a produção de urina. Entre os alimentos estão maçã, melão, melancia, agrião, salsa, beterraba e alho poró.

Bebidas alcoólicas são altamente diuréticas

Outro ponto importante é reduzir ou eliminar o consumo de bebidas alcoólicas. Isto porque elas são altamente diuréticas - ou seja, estimulam a produção de urina e tornam mais difícil o controle da bexiga.

Mas atenção, ao contrário do que parece, você não deve diminuir a quantidade de água que consome por dia. Isso porque o líquido é fundamental para manter o corpo hidratado, em funcionamento e também evitar problemas como infecções e prisões de ventre.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir