Cidadeverde.com
Geral

HUT diminui tempo de atendimento no Pronto Atendimento de 24 para 8 horas

Imprimir

Foto: Ascom HUT 

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) baixou o tempo de atendimento dos pacientes que dão entrada no Pronto Atendimento de 24 para 8 horas. Esse atendimento compreende desde a avaliação pela equipe de Acolhimento com Classificação de Risco até a definição de conduta pela equipe médica. A meta agora é diminuir para seis horas. A diretora geral do HUT, Dra. Clara Leal, comemora esse resultado e explica que quanto menor for o tempo de atendimento mais pessoas poderão ser atendidas, isso sem perder a qualidade. 

“Anteriormente, o atendimento total no Pronto Atendimento durava em média 24 horas. Agora, estamos conseguindo fechar a conduta médica no Pronto Atendimento em no máximo 8 horas. Esse ganho no tempo é crucial para que nossos pacientes tenham mais qualidade na assistência e conforto durante o atendimento”, destacou a diretora.

Essas mudanças são frutos do Projeto Lean nas Emergências, do Ministério da Saúde, que está sendo implementado no HUT desde dezembro de 2018. Assim que o projeto iniciou foram adotadas novas ferramentas de gestão que melhoraram o fluxo dos pacientes, diminuiu ainda mais o tempo de permanência no Hospital e agilizou a definição da conduta médica.

Um dos indicadores utilizado para medir os resultados do projeto é o de superlotação, chamado de NEDOCS (sigla em inglês para Escala de Superlotação do Departamento Nacional de Emergência). Ele mensura quesitos como tempo de passagem de pacientes pelas urgências, permanência no hospital, número de pacientes em ventilação mecânica, tempo de alta, entre outros. Um mês após o início da implantação do projeto, a equipe do HUT observou uma melhora desse indicador em quase 50%.

“O NEDOCS monitora o número de pacientes que entram no Pronto Atendimento, a permanência deles e quantos estão em Ventilação Mecânica. Quando iniciamos esse monitoramento no Pronto Atendimento o NEDOCS era de 275 pontos, hoje estamos com 198 pontos. Esse número reflete uma melhor resolutividade na assistência ao paciente, menor tempo de permanência e mais agilidade na definição da conduta”, comentou Clara Leal.

Para iniciar a implantação do projeto o HUT recebeu a visita de dois técnicos do Hospital Sírio-Libanês, instituição responsável pelo Lean, para fazer um diagnóstico do Hospital. Após a confirmação de que o HUT preenchia todos os critérios exigidos pelo Programa, iniciou-se a capacitação das equipes e identificação de oportunidades para começar a colocar em prática as ações de melhoria, de acordo com a metodologia Lean.

O Lean nas Emergências faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS) para o triênio de 2018 a 2020. Implementado por meio do Hospital Sírio-Libanês o projeto tem como foco a redução da superlotação de hospitais de urgência e emergência públicos e filantrópicos.

O termo Lean significa “enxuto”. O nome do projeto origina-se de uma filosofia de gestão inspirada em práticas e resultados do Sistema Toyota, para administrar a produção industrial e trabalha para melhorar processos com base no tempo, assegurando fluxos contínuos e eliminando desperdícios e atividades de baixo valor agregado, agora adaptada à prática hospitalar.

O HUT é um Hospital gerido pela Fundação Municipal de Saúde. Atualmente possui 420 leitos, sendo 386 de internação e 52 de observação. Por mês, o HUT realiza cerca de 4.800 atendimentos e 1.200 cirurgias. Quase 60% das cirurgias realizadas são ortopédicas, sendo que mais de 80% são pacientes vítimas de trauma.


redacao@cidadeverde.com

Imprimir