Cidadeverde.com
Últimas

Presos pai e filho suspeitos de se passarem por dedetizadores para furtar casas

Imprimir

Foto: Divulgação PC-PI

Pai e filho foram presos suspeitos de furtarem mais de 30 residências em Teresina. De acordo com investigação do 7º Distrito Policial, os dois andavam em vários bairros da cidade oferecendo o serviço de dedetização.

Os presos foram identificados como  Antônio dos Santos (pai) e Willames Rodrigues dos Santos (filho). Eles foram presos nesta quarta-feira (14) no bairro São Joaquim, na zona Norte de Teresina. 

"Eles confessaram que agiam desde 2014. O 7º DP já estava monitorando desde janeiro. Ontem conseguimos prendê-los em flagrante na casa de uma senhora que não sabia se ria ou chorava porque não acreditava que havia sido enganada", conta o delegado Menandro Pedro, titular do 7º Distrito Policial. 

Para ganhar a confiança das vítimas, os suspeitos usavam bisnagas e equipamentos utilizados em serviços de dedetização. 

"Eles chegavam com o material de dedetização para enganar as vítimas. Às vezes, cobravam um valor de R$ 10 pelo serviço que nunca existiu ou diziam que era de graça. Enquanto estavam pelo imóvel pegavam tudo o que podia litros de whisky, relógios, celular, carregador, bermuda, chinelo, dinheiro e tudo o que conseguiam esconder dentro da roupa ou em mochilas", explica o delegado. 

O delegado ressalta que os suspeitos teriam aplicado o golpe no Grande Dirceu, zona Sudeste de Teresina, e também nas zonas Norte e Sul.

Menandro Pedro alerta que as pessoas devem redobrar os cuidados ao permitirem a entrada de desconhecidos em seus imóveis. O delegado acrescenta que Willames Rodrigues dos Santos foi preso em 2014 suspeito de participação em assalto a caixa eletrônico.

"Niguém faz nada de graça. Como uma pessoa vai chegar na sua casa, sem você saber e você deixa entrar? os dois andavam bem vestidos e com boa aparência e lesaram várias pessoas. Cometeram o crime de furto qualificado, mas podiam ter matado ou praticado outros crimes", alerta o titular do 7º DP. 

De acordo com as investigações, Willames Rodrigues e Antônio dos Santos usavam carros alugados e em diferentes cores e modelos para dificultar a identificação. 

Somente nesta quinta-feira (15), sete vítimas foram ao 7º Distrito Policial. Demais vítimas dos suspeitos também devem se dirigir à delegacia. 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir