Cidadeverde.com
Esporte

Mano Menezes muda rotina imposta por Felipão e abrirá treinos

Imprimir

O técnico Mano Menezes, 57, mudará rotinas no Palmeiras em relação às práticas que o clube havia adotado por determinação de Luiz Felipe Scolari, 70, demitido na segunda-feira (2).

Foto - Cesar Greco - Palmeiras

O novo treinador palmeirense permitirá a presença da imprensa nos treinos da equipe, além de não interferir na concessão de entrevistas exclusivas pelos atletas.

Durante a última passagem de Felipão no clube, os jornalistas podiam acompanhar somente o aquecimento dos jogadores antes das atividades com bola. Além disso, as entrevistas com o elenco ocorriam apenas nos estádios, logo após as partidas.

No momento de maior pressão sobre Scolari, depois da eliminação nas quartas de final da Libertadores e da derrota por 3 a 0 para o Flamengo, pelo Brasileiro, o treinador definiu junto à diretoria não divulgar nem os horários dos treinos.

O clube afirmou que a medida era uma questão de segurança, pois havia identificado ameaças a jogadores e funcionários nas redes sociais. Nesta quinta-feira (5), um grupo cerca de 30 torcedores esteve em frente à Academia de Futebol com faixas para protestar com o diretor de futebol, Alexandre Mattos.

A exemplo do que ocorreu ao longo da semana, a Polícia Militar esteve presente em frente à porta do CT e não houve registro de confusões. 

Enquanto o protesto ocorria na rua, Mano Menezes era apresentado oficialmente, Ele disse que estava com saudade da imprensa. "Um mês fora do futebol é muito tempo", afirmou, citando as semanas que ficou sem trabalhar desde que se demitiu do Cruzeiro.

Mano afirmou que vive uma fase "light" na carreira: "Não tenho hábito de enxergar muitos inimigos: Convivo bem com opinião contrária, concordo, discordo, porque tenho a minha [opinião]. Não acho a imprensa o meu maior adversário".

Fechar os treinos foi prática determinada por Scolari no início de agosto de 2018, semanas após a sua chegada. Ele ficou irritado com a repercussão de um lance ocorrido durante um treinamento, quando o volante Felipe Melo deu uma entrada no lateral da base Lucas Minele, 19, e o jovem saiu machucado.

"Treino é quase igual a uma partida. O Felipe Melo deu uma chegada no menino do júnior e, no outro dia, era capa dos jornais. Então, não adianta eu querer tratar vocês de uma forma porque vocês têm outros objetivos", disse Scolari na última entrevista que concedeu como técnico do Palmeiras, em 29 de agosto.

Na ocasião, ele estava ao lado de Alexandre Mattos, diretor de futebol do clube. O dirigente chegou a defender a postura do técnico e também assegurou a permanência dele. Quatro dias depois, Scolari foi demitido. Na mesma noite, houve a oferta para Mano.

Antes da apresentação do treinador, Mattos e o presidente do time alviverde, Maurício Galiotte, deram as boas vindas ao comandante. Das mãos de Galiotte, ele recebeu uma camisa 9 do Palmeiras. O diretor de futebol o presenteou com um livro sobre a história do clube.

Também estiveram presentes na sala de imprensa da Academia de Futebol Leila Pereira e seu marido, José Roberto Lamacchia, donos da Crefisa, principal patrocinadora do clube. Minutos após a coletiva, a empresária postou um foto junto com Mano em sua conta no Instagram.

LUCIANO TRINDADE
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

Imprimir