Cidadeverde.com
Geral

Jovem de vídeo em suposta apologia ao crime é intimado e teria tido surto

Imprimir

Atualizada às 12h10

O jovem que aparece no vídeo em suposta apologia ao crime foi identificado e intimado a prestar esclarecimentos nesta quarta-feira (18). Nas imagens- que viralizaram nas redes sociais em tom de ameaça-  o rapaz sugere integrar uma milícia e que haverá "justiça com as próprias mãos", caso não seja reforçado o policiamento no bairro.

Stephen Edson Barroso Ribeiro, 22 anos, foi localizado em casa no bairro Morada Nova, zona Sul de Teresina, mesma região onde o vídeo foi gravado, de acordo com a Polícia Civil. À imprensa, acompanhado do pai e do advogado, ele permaneceu em silêncio. 

O delegado Sebastião Alencar, da Gerência de Polícia Metropolitana (GPM), diz que o vídeo representa ameaça à polícia em modo geral e que condutas do tipo não serão admitidas.

"A priori se configura um crime de ameaça e associação criminosa. Ele será ouvido e vamos identificar se há conexão dele com algum grupo criminoso para, a partir daí, aprofundar as investigações. Queremos saber qual a intenção dele com aquele vídeo. Nós temos o absoluto controle de toda a criminalidade de Teresina. Foi algo isolado e vamos combater justamente para não permitir que isso se alastre. A persecução penal é privativa do estado e não vamos admitir, em nenhuma hipótese, que qualquer pessoa ou grupos privados façam justiça com as próprias mãos", disse o delegado. 

Para o coordenador do Grupo de Apoio Operacional (GAO), Joattan Gonçalves, a atitude do jovem configura ainda apologia ao crime. 

Foto: Graciane Sousa/ Cidadeverde.com

"Ele cita o nome do secretário de Segurança do Piauí e que vai resolver o problema da criminalidade na área usando a força. Isso vai ser analisado, encaminhado à perícia e posteriormente à delegacia do 13º Distrito Policial que vai apurar o caso", disse o coordenador do GAO. 

SURTO

Joattan Gonçalves acrescenta que, extraoficialmente, há a informação que o jovem estaria em surto. 

"O papel da polícia judiciária é fazer a parte inquisitiva e encaminhar à Justiça. Isso será feito. Estamos tirando a cópia da documentação, fazendo consultas para saber se ele tem antecedentes. Com certeza, o representante legal dele deve juntar aos autos, a documentação que comprovaria esse surto. Provando que é inimputável, ele recebe os benefícios que a lei requer", conclui o coordenador do GAO. 

 

ADVOGADO DIZ QUE RAPAZ SOFRE DE TRANSTORNOS MENTAIS 

Ao Cidadeverde.com, o advogado Alairton Barroso disse que Stephen Edson sofre de transtornos mentais e que no dia da gravação do vídeo, no último dia 12, ele teria feito uso de medicamento e álcool. Segundo ele, o vídeo foi gravado pelo próprio pai do rapaz com o objetivo de "dar uma lição ao filho". Contudo, as imagens foram repassadas em um grupo de WhatsApp.

"O pai gravou para mostrar o filho como ele ficava transtornado quando misturava bebida e remédio para que ele não fizesse mais isso. Horas antes da filmagem, a casa deles foi assaltada e meu cliente ficou transtornado. O vídeo foi divulgado pra chamar atenção em relação à necessidade de mais segurança no bairro. Ele sofre de transtornos mentais e no dia seguinte ao vídeo foi internado no hospital psiquiático Areolino de Abreu", disse Barroso. 

O advogado acrescenta que Stephen Edson é estudante universitário e não tem antecedentes criiminais. 

"Não existe nenhuma ligação dele com facção ou com armamento. Ele está arrependido e não queria essa repercussão negativa. O pai gravou o vídeo e o filho compartilhou no grupo de WhatsApp Morada Nova Segura que tem moradores e policiais. A intenção do pai era dar uma lição no fillho. Já  Stephen queria mostrar que o bairro precisa de mais segurança", concluiu  Alairton Barroso.


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir