Cidadeverde.com
Geral

Piauiense emociona internet com carta para doador de medula óssea

Imprimir

Foto: Reprodução Instagram
 

A psicóloga piauiense Iderlâne Marques Costa, de 24 anos, emocionou as rede sociais ao postar em seu perfil de Instagram uma carta ao seu doador de medula óssea. Diagnosticada com aplasia medular severa em abril deste ano, a jovem agradeceu o ato de solidariedade de um doador desconhecido.

Natural de Nova Santa Rita Piauí, Iderlâne conta que compartilhar o seu agradecimento é uma forma de sensibilizar para a importância da doação de órgãos. 

“Essa foi a minha intenção maior. Porque sei a importância de encontrar um doador. Ele me deu vida. Creio que ao ler, algumas pessoas podem sim perceber a dimensão que isso pode causar na vida de alguém. Inclusive já vieram alguns me contando que se comoveram e que iriam logo se cadastrarem".

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

CARTA PARA O MEU DOADOR DE MEDULA ÓSSEA: Oi, não sei o seu nome, só me falaram que é homem, de Maceió, tipo sanguíneo A+ e que tem mais ou menos a minha idade. Tenho que te contar que hoje fazem 14 dias que colocaram em mim um pouquinho de você e foi o suficiente para a MEDULA PEGAR E JÁ DE DERAM ALTA DEPOIS DE UM MÊS INTERNADA. Graças a Deus que cuidou de cada detalhe, depois graças a você por existir e por ser tão generoso. Você precisa saber o quanto te amo, mesmo sem conhecer, mesmo com tão pouco tempo que sei da sua existência. Eu tive tanto medo que você nunca existisse, a minha cura dependia por inteiro de você. Rezei tanto pra você aparecer na minha vida! Tanta gente rezou por isso! Tanta gente daqui te ama! Você foi responsável pelo dia mais feliz da minha vida!!! Antes da sua existência sempre havia um medo, pois eu sabia da gravidade da doença e da raridade de encontrar alguém compatível no banco de dados! Numa consulta de rotina meu médico olhou nos meus olhos e falou que eu tinha um doador... perguntei a ele três vezes se era verdade, ele me mostrou o e-mail kkkk Eu só conseguia chorar, foi um dia único, marcante, inexplicável, jamais esquecerei do que senti. Depois de saber da tua existência retirei um peso enorme das costas, voltei a dormir bem novamente. Graças a sua existência eu pude ter a coragem de voltar a planejar toda a minha vida! Voltei a acreditar que teria o meu Juliano e minha princesa, pude voltar a pensar em exercer minha profissão, dançar meus forrós, replanejar as minhas viagens...fazer tudo que eu tenho vontade de viver. Você trouxe a paz para os meus pais novamente, como eles sofreram com tudo! Como eles vibraram por você existir. Hoje me pergunto se você não existisse? E se nunca tivesse se cadastrado como doador? E se tivesse se recusado ao ser convidado para me salvar? Me emociono todas as vezes que lembro de ti, choro sempre que lembro. Espero que queira me conhecer, espero que tenha paciência para eu te contar tudo o que significa em minha vida! Espero que nunca se esqueça o quanto é luz no mundo! Você deve ter teus defeitos, claro! Mas é alguém de um coração enorme e que salvou a minha vida! #quechegueotempodetever ????

Uma publicação compartilhada por Iderlâne Marques (@iderlane_marques) em

 

A busca do doador

Na postagem, Iderlane cita não saber o nome do doador, mas que ele é um homem, de Maceió, tipo sanguíneo A+ e teria, mais ou menos, a mesma idade dela. 

"Hoje me pergunto se você não existisse? E se nunca tivesse se cadastrado como doador? E se tivesse se recusado ao ser convidado para me salvar? Me emociono todas as vezes que lembro de ti, choro sempre que lembro. Espero que queira me conhecer, espero que tenha paciência para eu te contar tudo o que significa em minha vida! Espero que nunca se esqueça o quanto é luz no mundo! Você deve ter teus defeitos, claro! Mas é alguém de um coração enorme e que salvou a minha vida!",  diz a jovem.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Menos uma faseeeee!!! O cabelo deu tchau e me deixou uma gracinha ???? Mais perto estamos! E nunca quero esquecer de nenhuma etapa. Como tou grata por estar bem hoje. Por não sentir dores e agonia, por enxergar bem novamente... por sentir fome e comer muito ???????? passei dias difíceis e agora tou bem! Já já é a pega da medula ???????? Sigo aqui grata por tanto cuidado! Grata pelas orações de todos! Vocês são responsáveis por eu chegar na fase de mais gratidão! Pq tanto amor heinnnnnn?! ??Cada um com a sua importância! (Choro de felicidade todas as vezes que lembro da quantidade de pessoa me amando, rezando e cuidando nesse momento! Poder viver sem dores é a coisa mais incrível que vivi até hoje?? Coisa de Deus! E meu amor tá comigo ????????????????????????????????? merece mesmo ser o pai do Juliano kkkk ( enquanto isso pai e mãe querendo tá aqui hoje) ???????????? Hoje a vida tá tão mais linda! Hoje estou tão mais leve! #napegadamedulapodemaguentar #seraodiachorandodefelicidade

Uma publicação compartilhada por Iderlâne Marques (@iderlane_marques) em

 

Recuperação

Após uma mês de internação, ela teve alta médica em um hospital de Recife, onde fez o tratamento. A piauiense permanece fora do estado durante os primeiros meses até que seu quadro se estabilize. 

“Tive alta, mas ainda não posso voltar ao Piauí, pois tenho consultas no mínimo semanais. Agora estou bem, não sinto dores, mas tenho que ter cuidado com tudo. Imunidade baixa, então preciso ficar em casa, ter cuidado com o que comer, tomo muitos remédios. A medula nova pegou, mas demora um tempo para as taxas irem voltando ao normal. E é comum sentir algo e precisar me internar para que possa ser tratado nos primeiros 90 dias”. 

A piauiense aguarda o hospital informar o nome do doador. O desejo da jovem é agradecer pessoalmente pelo ato de solidariedade. 

No Brasil, as doações são geridas pelo Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME), financiado pelo Ministério da Saúde.

Carlienne Carpaso e Valmir Macêdo
redacao@cidadeverde.com

Imprimir