Cidadeverde.com
Entretenimento

Cleo diz não ser imune a críticas e que ataques que sofre por causa da aparência machucam

Imprimir

Foto: Reprodução Instagram@cleo

 

Cleo, 37 anos, falou abertamente sobre os ataques que vem sofrendo por conta do ganho de peso. A atriz diz que, na época que as investidas começaram, achou que tivesse ganhado 10 quilos, mas depois descobriu que havia engordado o dobro disso. "Meu rosto estava diferente. Comecei a ver coisas sacanas, que eu estava deformada por fazer plásticas. O que fiz falei abertamente, que foi plástica no nariz e preenchimento na olheira anos atrás. Não tem por que eu mentir", desabafou.

Em entrevista à TV nesse domingo (6), a atriz diz que a pressão estética a que vem sendo submetida, que a julga de forma agressiva e profunda, machuca. "Dói! Não sou imune a isso. Não conheço ninguém que não se importe diante de uma enxurrada de gente dando opinião sobre sua vida sem nem saber quem você é de verdade".

Cleo afirmou que em diversas situações sentiu vergonha de ir a lugares porque sabia que falariam dela ali. "Aí você fica mais compulsiva, come mais ainda, entra num rolo compressor de perda de controle mínimo das suas emoções, das suas atitudes. Parece um pesadelo. Não é certo! Não vou deixar fazerem isso comigo"! 

A filha de Glória Pires, 56 anos, e Fabio Júnior, 65 anos, disse ainda que consumiu inibidores de apetite para manter a forma física que esperavam dela. Alguns desses medicamentos, segundo a atriz, desencadearam depressão e paranoias. Ela afirmou, de maneira bem-humorada, nunca estar feliz com o próprio corpo. "Não tem que estar o tempo inteiro satisfeita com tudo. A vida é imperfeita e tudo bem".

Cleo finalizou mandando um recado para as pessoas que acham normal ir às redes sociais para ofender e magoar quem elas sequer conhecem. "A internet só potencializa uma coisa que é muito humana que é você não lidar com seus problemas e jogar em cima dos outros. Isso não é opinião, é discurso de ódio. Há algo muito errado contigo e você precisa se tratar. Não é normal"!

Fonte: FolhaPress

Imprimir