Cidadeverde.com
Geral

Taxista é esfaqueado e espancado durante corrida na zona Norte de Teresina

Imprimir

 

 

Atualizada às 10h

Um taxista Natanael da Costa Sousa, 34 anos, foi espancado e esfaqueado enquanto trabalhava na zona Norte de Teresina. O caso aconteceu na noite desse domingo (13) na Rua José Marques da Rocha, bairro Itaperú. Veja vídeo abaixo.

Segundo as primeiras informações, uma mulher solicitou a corrida e, quando o taxista chegou ao local, quatro homens invadiram o táxi, espancaram e esfaquearam o motorista. Os bando estava armado com arma de fogo e faca. Imagens gravadas por circuito de segurança registraram a agressão.

No vídeo o taxista é agredido covardemente, jogado no chão e espancado a chutes. A vítima está internada no Hospital de Urgência de Teresina. O delegado Menandro Pedro, do 7º Distrito Policial, informou que as investigações estão avançadas e que o caso é tratado como tentativa de latrocínio.

De acordo com boletim do HUT, Natanael passou por cirurgia na região cervical  e no momento está consciente e orientado. 

Além do caso que aconteceu na noite desse domingo, na última quinta-feira (10) um assalto foi registrado na região da Santa Maria da Codipi. 

O taxista relatou ao 22º Distrito Policial  que dois homens pegaram uma corrida na Avenida Frei Serafim em direção a Santa Maria das Vassouras e, quando chegou próximo a um cemitério, a dupla anunciou assalto e roubou celular e  a quantia de R$190 reais do taxista. 

A dupla estava armada com revólver.  A Associação dos Taxistas do Piauí cobra providências das autoridades de segurança pública. Segundo a entidade, somente neste ano houve mais de 30 assaltos a taxistas em Teresina. A maior parte destes com violência.

Foto: Divulgação/Whatsapp

Carro de Natanael ficou com marcas de sangue

Pedro Ferreira, presidente da Associação dos Taxistas do Piauí- Piauí Táxi, conta que, na maioria dos casos, os taxistas são atraídos para o chamado "cheiro do queijo". Os motoristas chegam ao local da corrida e são surpreendidos por assaltantes.

"A maioria dos taxistas não denuncia porque não vê uma linha de investigação. Esses assaltos estão acontecendo com frequência", conta Pedro. 

Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir