Cidadeverde.com
Viver Bem

Banho quente relaxa, mas exige cuidados com a pele

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

Tem sensação mais gostosa que chegar em casa após um longo dia de trabalho e tomar aquela ducha com água quente? Pois é, o banho que ajuda a relaxar também pode se tornar um vilão. Isso acontece porque a água em temperatura elevada retira parte da epiderme, responsável por proteger o corpo. Com isso, a pele fica ressecada.

Por isso, é necessário que a água fique no máximo em 37º. Afinal, essa é a temperatura que mais se assemelha ao nosso corpo. Mas não é necessário correr para uma loja na procura por um termômetro. Existe uma forma prática para resolver o caso. Para isso, basta colocar o pulso embaixo d’água. Se a sensação estiver agradável, tudo bem.

Aliás, evite ficar por longos períodos embaixo do chuveiro. O ideal é entre 5 e 10 minutos. Além de fazer bem para a saúde, evita o desperdício de água e economiza na conta de luz

Cuidados

Quando for usar a esponja, escolha uma com um aspecto mais suave. Outra recomendação é utilizar hidratante e loções que possam deixar a pele mais suave. Quando sair do banho, preste atenção também às toalhas usadas. Prefira as mais felpudas Se estiver frio, passe o creme sem sair do banheiro.

Benefícios

Dentro da temperatura indicada por especialistas, o banho quente tem seus benefícios. Um deles é melhorar a circulação sanguínea. Além disso, promove aquela sensação relaxante, diminuindo as dores. Funciona exatamente como uma massagem.

O banho quente também deixa a pessoa mais disposta para a prática de atividades físicas. Isso ocorre principalmente pela manhã, quando nem todos têm aquele pique.

Para quem acordou com torcicolo, por exemplo o banho quente também pode ajudar. É só deixar a água cair nessa área por alguns minutos e aproveitar para massagear a área lentamente.

Já para as mulheres, pode funcionar como um alívio contra cólicas. Na hora do banho, deixe a água caindo sobre a barriga para que os músculos que ficam contraídos relaxem, promovendo assim uma sensação agradável.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir