Cidadeverde.com
Viver Bem

Automedicação é perigosa e deve ser evitada

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

Sete em cada 10 brasileiros têm o costume de tomar remédio por conta própria, seguindo recomendações de amigos, familiares e até mesmo da internet. O ato de se automedicar é perigoso. Os dados alarmantes são do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ) de 2016. Entretanto, indicam que muitos colocam a vida em risco, consumindo medicamentos sem a orientação de um médico.

Um dos grandes vilões dessa cultura da medicação, hoje, é a internet. Grande aliada na busca por informações, a web não deve ser confundida como fonte de verdades absolutas. Afinal, cada organismo reage de uma forma. Por isso, sintomas podem ser confundidos.

Buscar diagnósticos por conta própria pode, inclusive, fazer com que a pessoa confunda sintomas – que podem ser sinais de quaisquer doenças, em muitos casos.

Prescrição

Para dores de cabeça, no corpo e resfriados, sintomas mais comuns, pode-se até tomar um analgésico, desde que a pessoa não seja alérgica e não tenha contraindicações.

O que não pode tomar são remédios sem prescrição, o mesmo que o vizinho toma ou até mesmo de sempre, pois o organismo começa a reconhecer essa fórmula, causando problemas futuros.

Na farmácia, busque informação, mas tenha senso crítico. O ideal é procurar um diagnóstico correto, para não cair no erro de tomar qualquer medicação e depois ter um problema mais sério. Portanto, não deixe de procurar um médico sempre que necessário, realizando ainda as consultas periódicas.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir