Cidadeverde.com
Geral

Acusado de matar Vanessa Carvalho e atropelar namorada quer ser solto com tornozeleira

Imprimir

Foto: Reprodução Redes Sociais

A defesa de Pablo Henrique Campos Santos, acusado de assassinar a enfermeira Vanessa Carvalho e de tentar matar a namorada Anuxa Kelly, solicitou à Justiça nesta segunda-feira (21) a substituição da prisão pelo uso de tornozeleira eletrônica com monitoramento eletrônico. Se aceito, o acusado deixará o sistema penitenciário do Estado, onde está preso desde o dia 29. 

O advogado de Pablo havia pedido o uso de tornozeleira na audiência de custódia, no dia 30 de setembro, solicitação que foi negada pelo juiz. Com a conclusão das investigações policiais, o novo pedido de substituição da prisão assinala para outras cinco medidas cautelares.

“Se baseia na excepcionalidade da prisão cautelar. Toda a investigação policial já ocorreu. A monitoração do acusado, pelos meios diversos da prisão, fornecem ao processo toda a segurança necessária a garantia da ordem pública e asseguram a aplicação da lei penal”, explicou o advogado de defesa, Eduardo Faustino.

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Denúncia aceita pela Justiça

Nesta segunda-feira (21), o juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri, aceitou a denúncia contra Pablo, ajuizada pelo Ministério Público Estadual. A defesa tem 10 dias para responder à acusação por escrito.

Na decisão, o juiz aponta a “justa causa” para a deflagração da prisão com base no relatório de análise de imagens, no laudo cadavérico de Vanessa Carvalho e no laudo de lesão corporal de Anuxa Kelly.

Os depoimentos de testemunhas também são citados pelo magistrado. “Os indícios de autoria atribuída ao denunciado, por sua vez, encontram-se evidenciados pelos depoimentos colhidos durante a investigação criminal’, afirma.

Na decisão, o juiz solicita ao Instituto de Criminalística a apresentação com urgência dos laudos de análise de velocidade, da perícia no automóvel apreendido e do celular de Pablo Henrique.

O relatório de dados coletados no celular de Anuxa Kelly, que foi analisado pela equipe de da Delegacia de Feminicídio, também foi pedido pelo juiz. A quebra de sigilo de dados no celular de Vanessa Carvalho foi autorizada pela família.


Wanessa Carvalho, 27 anos, vítima fatal do caso.

Indenização

O Ministério Público chegou a requerer a fixação de valor mínimo de indenização para a reparação dos danos causados às vítimas, o que não foi atendido pelo juiz. “Não é o momento adequado para a análise de tal requerimento, visto que o processo está apenas em seu início e a fixação de valor para reparação dos dados somente acontecerá no caso de eventual condenação”, explica o magistrado. 

O caso

O caso ocorreu no dia 29 de setembro de 2019, por volta das 04h00, no cruzamento da Avenida Homero Castelo Branco, com Rua Cláudio Soares de Brito, zona Leste de Teresina. De acordo com testemunhas, houve uma discussão entre Pablo e a namorada Anuxa Alencar durante um casamento. O suspeito teria saído da festa, pego o carro e seguido em direção a Anuxa que saiu acompanhada da amiga Vanessa Carvalho, 27 anos. Ao avistá-las, Pablo teria jogado o carro contra as duas, sendo que Vanessa não resistiu aos ferimentos e morreu. 

Valmir Macêdo
[email protected]

Imprimir