Cidadeverde.com
Cidades

Reféns ficaram 40 minutos na mira dos bandidos em assalto aos Correios

Imprimir

Na primeira imagem, o carro flagrado por câmeras de segurança. Na segunda, o mesmo carro após ser abandonado em uma estrada vicinal

A Polícia Militar localizou na manhã desta terça-feira (22) o veículo utilizado pelos criminosos após assalto aos Correios do município de Água Branca, a 98 km da Capital.  O carro foi abandonado em uma estrada vicinal no município de Angical, também no interior do Piauí. Segundo o tenente-coronel Ruy Nunes Cordeiro, comandante do 18º Batalhão de Polícia Militar, os criminosos usaram pó químico de extintor para apagar impressões digitais. 

"O carro usado pelos criminosos havia sido roubado há poucos dias em Teresina. Já na BR-343 encontramos o celular do gerente que foi arremessado pelos criminosos porque tinha rastreador", acrescentou o comandante. 

A ação criminosa ocorreu na tarde de ontem (21). Cerca de 30 pessoas entre clientes e funcionários que ficaram na mira dos assaltantes por 40 minutos à espera da abertura do cofre.Os Correios não informou o vaor roubado. 

"Ali, no momento da ação, eram três dentro da agência e um fora. Eles entraram, ficaram na fila como cliente normal. Todo cliente que entrava, colocavam paro lado. Ao anuciarem o assalto ja pegaram a arma e o colete do vigilante. Eles ficaram cerca de 40 minutos dentro da agência esperando o cofre abrir, pois só abre no horário programado e ao mesmo tempo falando no telefone informando quantos minutos faltavam para a abertura do cofre abrir. Quando o cofre abriu eles chamaram o outro parceiro que estava no carro e fugiram", explica o tenente-coronel. 

A PM acredita que o caso tenha sido "parada dada", uma vez que os criminosos tinham informações privilegiadas. O caso será investigado pela Polícia Federal. 

 

SEGUNDA AÇÃO CRIMINOSA NO MÊS

No início de outubro, a agência foi alvo de arrombamento durante a madrugada, mas os bandidos não levaram nenhuma quantia em dinheiro. Por se um modus operandi diferente, a PM acredita que não se trate dos mesmos bandidos que praticaram o assalto. 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir