Cidadeverde.com
Política

Regina Sousa é contra o PT lançar candidatura este ano para as eleições 2020

Imprimir

Foto: Roberta Aline/cidadeverde.com

A vice-governadora Regina Sousa é contra a estratégia do PT de lançar candidato a prefeito de Teresina em 2019. Segundo ela, o candidato será "massacrado" pelos setores contra o partido. Ela participou de Conferência Estadual de Politícas Públicas nesta terça-feira(29. 

Regina diz que o mais prudente seria lançar candidatura somente em março de 2020.

"Sempre fui defensora da candidatura própria. Escolher candidato agora, ele vai ser o foco. Pode ser massacrado pela crítica. Quando chegar em março ele já estará cansado de tanto se defender. Não é a hora, mas o diretório municipal é soberano. Se os outros não definiram, por quê o PT precisa definir agora? Vanmos lançar todos juntos", afirmou. 

Regina Sousa evitou falar sobre preferências. Hoje o partido tem como pré-candidatos Franzé Silva, Fabio Novo e Júnior do MP3. 

"O Lula não deteminou, ele recomendou candidato próprio do partido. Ele não é membro do diretório, mas a palavra dele pesa muito. É um recomeço do partido que foi massacrado, pisado. É importante mostrar a cara. Não importa se for para ganhar ou perder. O que tivermos de voto vamos dizer: aquilo ali é PT. Se não lançarmos candidato não vamos saber o que é  PT. Todas as capitais devem ter candidato próprio", afirmou.

A vice-governadora participou de Conferência Estadual de Politícas Públicas. Segundo ela, o Brasil recuou nas políticas sociais com a eleição de Bolsonaro.

"Muito programas forma fechados. Não tem mais Ciência sem Fronteira. Não tem mais uma série de coisas, que foram desmontadas, fora as que foram desidratadas. O Piauí perdeu 6 mil bolsas familias em dois meses. Tem fraude? Vamos dizer que um mil são fraudes. E o resto? São mais de R$ 1 milhão que se deixa de injetar. Não são pessoas ricas. São presidentes de associação e cooperativas. Por isso tem CNPJ. Eles pagam o 13º salário com o dinheiro que cortou. Quem sofre são os pobres", afirmou.

 

Lídia Brito
[email protected]

 

Imprimir