Cidadeverde.com
Política

Cícero Magalhães toma posse no PT e diz que não haverá "cotovelada" na base

Imprimir
  • cicero14.jpg Yala Sena
  • cicero13.jpg Yala Sena
  • cicero12.jpg Yala Sena
  • cicero11.jpg Yala Sena
  • cicero10.jpg Yala Sena
  • cicero9.jpg Yala Sena
  • cicero8.jpg Yala Sena
  • cicero7.jpg Yala Sena
  • cicero6.jpg Yala Sena
  • cicero5.jpg Yala Sena
  • cicero4.jpg Yala Sena
  • cicero3.jpg Yala Sena
  • cicero2.jpg Yala Sena
  • cicero1.jpg Yala Sena

Anunciando aos quatro cantos que o PT está pacificado, o novo presidente do Diretório Municipal, Cícero Magalhães, tomou posse na noite desta segunda-feira (11) defendendo o nome de Fábio Novo como pré-candidato a prefeitura de Teresina. Cícero disse ainda que a candidatura do partido é pra valer e não haverá "cotovelada" com a base aliada.  

A posse de Cícero Magalhães foi antecipada por decisão do Diretório Nacional que quer reduzir as burocracias e agilizar as posses no País. O presidente da Assembleia Legislativa e atual presidente do MDB Municipal, deputado Themístocles Filho, participou da posse. Representando o PC do B estava também a ex-deputada Elisangela Moura. 

Cícero Magalhães afirmou que o partido está unido para as eleições 2020 com o nome de Fábio Novo. Magalhães lembrou que o "9" é um número de sorte para ele.

"Em 1999 assumir o Diretório Municipal de Teresina e, em 2000, o partido teve a melhor performance em Teresina nas eleições municipais, com Wellington Dias candidato a prefeito e Trindade a vice. Nós tivemos 100 mil votos".

Ele lembrou que a base terá também como candidatos Dr. Pessoa (MDB) e Fábio Abreu pelo PL.

"O PT está unificado. Foi muito difícil, não é tão simples o PT sair unificado antecipadamente. Só me lembro de 1996 com o nome de Nazareno Fonteles", afirmou.

"Uma coisa é certa. Nós vamos estar elegendo o prefeito de Teresina. A partir de agora não é uma tarefa que é só minha, é de toda direção, dos pré-candidatos, do governador, de nós unificarmos a base, se não no primeiro, no segundo turno. Por isso não vamos dar cotovelada em ninguém".

Ao entregar o cargo, Gilberto Paixão disse que foram dois anos de aprendizado e defendeu que o partido caminhe unido.

"Não podemos dar artifícios para usarmos contra nós, já temos lá fora muitos inimigos. Foram dois anos difíceis, de lutas pela liberdade do Lula e de respeito ao partido e manter a candidatura própria do PT". 

Fábio Novo disse que há uma unificação e não ficou feridas no partido. "Quando o partido está unificado ele vai para rua muito forte".  

Ele ressaltou que o próximo passo é conversar com os partidos da base aliada para fortalecer a sua pré-candidatura. 

"Discussão só no segundo turno. Eu acho que o PT está devendo para Teresina um debate qualificado. É uma candidatura que já nasce com um partido unificado e está dando um recado para a sociedade que quer discutir um projeto alternativo para a cidade de Teresina". 

O deputado federal, Assis Carvalho, ressaltou que o nome de Fábio Novo está consolidado, mas discutirá vice somente próximo das convenções. "É muito cedo. Eu acredito que chegaremos em janeiro já acima de dois dígitos".

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir