Cidadeverde.com
Cidades

Grupo faz reféns e assalta a casa do vice-prefeito de Curralinhos

Imprimir

Quatro homens armados invadiram e roubaram a residência do vice-prefeito da cidade de Curralinhos, a 80 km ao Sul de Teresina. O crime ocorreu na manhã desta quinta-feira (14). Familiares do político foram feitos reféns, objetos foram levados e mais de R$ 30 mil subtraídos, além de uma caminhonete do irmão do vice-prefeito.

O vice-prefeito Everaldo Lima não estava em casa no momento do ocorrido. O irmão e os pais do político foram abordados pelo grupo. Segundo as vítimas, quatro homens armados entraram na residência e outros dois deram cobertura do lado de fora. 

“Trancaram eles dentro de um banheiro. Agrediram meu pai. Agrediram com um revólver, deixaram até uma marca no braço dele. Eu peço que no casa da polícia, da segurança, tome providência sobre a questão, sobre o caso e prendam os envolvidos”, disse o vice-prefeito à TV Cidade Verde.

Além da quantia em dinheiro, foram levados duas televisões e um notebook. A caminhonete, modelo Hilux, foi abandonada na fuga dos criminosos após ficar sem combustível e já foi recuperada.

Ligação com outro assalto

A Gerência de Polícia Metropolitana investiga se a ocorrência tem ligação com um assalto em Altos na manhã desta quinta-feira, em que R$ 40 mil foram levados. Para o delegado Sebastião Alencar, os dois assaltos, com reféns, podem ter tido a mesma autoria.  

Foto: PRF

Carro localizado pela PRF.

“Pela circunstância dos fatos e pela proximidade dos horários, é bem provável que possa haver uma conexão entre os dois crimes e os mesmos elementos estarem ligados. A polícia Civil está em diligência com todos os grupos especiais dando cobertura à Delegacia de Altos”, afirmou.

A polícia investiga do crime ter sido uma “parada dada”, termo usado no jargão policial para denominar a existência de um informante que teria avisado o grupo da existência da alta quantia em dinheiro na casa do vice-prefeito. 

A polícia também procura imagens de segurança para identificar o modelo do carro usado na ação.

Valmir Macêdo
[email protected]

Imprimir