Cidadeverde.com
Geral

Padre Tony confirma que deixará Paróquia de Fátima: "todo apego é mentira"

Imprimir

Foto: Caroline Oliveira/Cidadeverde.com

Na semana passada, fiéis foram surpreendidos com o anúncio da saída de padre Tony Batista da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, na zona Leste de Teresina. Hoje, durante o Sinal de Deus no Notícia da Manhã ele explicou sua decisão.  

"Tudo passa. Tenho muito medo de deixar minha paróquia envelhecer e eu saio antes dela envelhecer. É zelo. Todo apego é mentira. Deus nos quer pessoas livres. Isto significa que já é hora de passar o comando, de passar a mochila para um padre mais novo que venha com todo o gás, com toda a força, com toda vontade. Este tempo inteiro a Paróquia de Fátima não envelheceu, não esclerosou, não se fechou. É uma paróquia viva, dinâmica, os leigos melhores do mundo e é exatamente por isso que estou saindo. Por isso, na quinta-feira passada, na reunião de todos os padres e diáconos, eu comuniquei a minha decisão de renunciar", disse o padre.

O religioso disse que fica à frente da igreja até a Páscoa. Em fevereiro de 2020, o pároco completará 45 anos no comando da igreja.

Ele fica até o dia 18 de abril e no dia seguinte o padre Amadeu, que atualmente está na Catedral de Nossa Senhora das Dores no Centro, assumirá a Paróquia de Fátima. Padre Tony informa que não foi uma decisão impulsiva. 

"Não foi uma decisão de repente, foi uma decisão serena, madura. Estou saindo com a mesma alegria que cheguei. É uma síntese da minha liberdade interior de sair. Eu já tinha pedido a Dom Miguel, a Dom Sergio e a Dom Jacinto para sair e nenhum deles acharam que era conveniente. Agora é uma decisão minha, que meu Bispo me respeita e acatou minha renúncia”, explicou. 

Ele afirma que continua Vigário Geral da Arquidiocese, na Ação Arquidiocesana (ASA), à frente da rádio Pioneira e continuará celebrando todos os dias, mas em comunidade pequena, que ainda será escolhida. 

Caminhada da Fraternidade

Tony também deixa a presidência da coordenação da Caminhada da Fraternidade, que completará 25 anos em 2020. “O padre Isaías Pereira, que hoje é meu auxiliar e vai assumir em um ano muito bonita, que é a 25ª”, afirmou. 

Política 

O padre Tony descartou que sua saída tenha ligação com as eleições do próximo ano. Ele enfatiza que não será candidato no pleito municipal.

"A política é coisa séria, é coisa nobre, mas não é coisa para padre. Cargos eletivos são para os leigos e não para o padre. O padre é aquele irmão mais velho, que ajuda, dá força, que diz vamos, mas não para ocupar lugar de um leigo no cargo eletivo. Nunca. Não sou e nem serei (candidato). Estou de cabecinha branca, mas estou no lugar, de consciência, eu agradeço a Deus que apareça muitos bons candidatos, mas o padre Tony não é candidato a coisa nenhuma", declara. 

Confira entrevista na íntegra: 

 

 


Graciane Sousa e Caroline Oliveira
[email protected]  

Imprimir