Cidadeverde.com
Geral

Manifestação pede prisão de PM que atirou em radiologista em casa de shows

Imprimir
  • hudson.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • hudson1.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • hudson5.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • hudson4.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • hudson3.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • hudson2.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Vestidos de preto, amigos e familiares do técnico em radiologia Rudson Vieira realizaram um protesto, na manhã desta quinta-feira (11), pedindo Justica. Eles querem que o policial militar suspeito de atirar Rudson em uma casa de shows na zona Norte de Teresina seja preso. Após balear a vítima, o PM foi solto em audiência de custódia e teve a arma apreendida. Rudson morreu após ficar uma semana internado em hospital particular da capital.

O irmão de Rudson, João Batista, disse que o protesto é contra a impunidade."Esse PM matou meu irmão a sangue frio, covardemente. Queremos que a Justiça determine a prisão dele. A versão que ele conta  não é verdade. Ele estava assediado várias mulheres na festa e meu irmão reclamou uma vez. Da outra ele foi logo sacando a arma e atirando contra o Rudson", afirma.

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

O irmão do radiologista afirma ainda que o PM estava alcoolizado na festa e  critica o porte de arma neste caso. 

"É um absurdo um policial alcoolizado andar armado em uma festa", lamenta.

A advogada da família, Ravennya Moreira, ingressou com recurso na semana passada pedindo que o juiz reconsidere a decisão da soltura do policial militar. 

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

"Queremos que o juiz solicite a prisão preventiva urgentemente e estamos esperançosos que o assassino do Rudson seja preso", disse.

Emocionados, os  amigos e familiares da vítimas seguiram em passeata da frente da Assembleia Legislativa à sede do Tribunal de Justiça. 

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Rudson trabalhava na Fundespi. O presidente da entidade, Clemilton Queiroz, participou do ato e pede que  o caso  não fique impune.

"Estou aqui como cidadão. O Rudson era um cara alegre, um bom profissional e estamos aqui pedindo Justiça", disse Queiroz.


Flash Izabella Pimentel
[email protected]

Imprimir