Cidadeverde.com
Geral

Polícia recupera carga avaliada em R$ 90 mil roubada por suspeitos com roupa do Exército

Imprimir

Foto: Divulgação SSP-PI

 

Ampliada às 11h06

Roupas, bijuterias, relógios e outras mercadorias avaliadas em aproximadamente R$ 90 mil foram localizadas em uma casa no conjunto Árvores Verdes, na zona Leste de Teresina. Segundo o major Audivam Nunes, coordenador da Força Tarefa da Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI), a carga foi roubada do depósito de uma loja no bairro Mateuzinho, na cidade de Timon-MA por suspeitos vestidos com roupas camufladas que imitam a farda do Exército. Durante a abordagem, os criminosos se apresentaram como funcionários da Receita Federal. À espera deles havia uma caminhão de mudança supostamente alugado para transportar os produtos roubados. 

O assalto ocorreu ontem (17). Pelo menos oito criminosos participaram do roubo da carga. 

"Oito homens armados em pelo menos dois veículos chegaram e anunciaram o assalto. Inicialmente pediram celulares,mas depois pegaram essa carga e teriam anunciado que eram da Receita Federal", informou o comandante da Força Tarefa da SSP-PI.

Foto: Divulgação SSP-PI

Já a apreensão foi realizada na manhã desta quarta-feira (18) quando um suspeito identificado como Geilson Almeida da Silva foi detido. Na casa foram apreendidos uma roupa camuflada com as mesmas característica da usada pelos criminosos, bem como munições. 

"Ele disse que não participou do assalto e tinha ficado responsável apenas por vigiar a carga. Não quis falar mais nada.  Próximo à casa foi localizado um veículo que foi apreendido por supostamente ter sido usado no roubo. Agora o caso será investigado pela Polícia Civil", explica o major. 

O empresáiro José Humberto Teixeira, dono da mercadoria, disse que os criminosos alugaram um caminhão de mudança para transportar a carga. 

"Com certeza tem alguém de perto que passou informação privilegiada porque eles já foram com esse caminhão de mudança", disse o empresário. 

 


Graciane Sousa (Com informações Tiago Melo)
[email protected]

Imprimir